RSS

Arquivo da categoria: olá tudo bem

Eu.

Image

Foto minha de 2011, que ¯\_(ツ)_/¯

Muita gente conhece o Igor de n formas. Pessoalmente, virtualmente, em casa, na rua, nos lugares públicos, nem tão públicos assim… Mas tem algumas facetas da minha personalidade que as pessoas não conhece. Pra não ficar totalmente escancarada, vou dizer algumas que, ao meu ver, me parecem interessantes. Mas no final das contas eu me acho uma pessoa normal…zinha.

Primeiramente, eu sou meio calado e na minha em casa. O que é um choque, pq todos me conhecem na rua como uma pessoa expansiva e comunicativa. Amo falar com as pessoas, com o mundo, me interagir com elas. Mas em casa me recolho, às vezes. E não gosto de ser importunado. Prefiro ficar aqui, falando com vocês na internet a ter de conversar com minha mãe. A gente conversa, mas somos tão diferentes que não conseguimos esboçar diálogos despretensiosos por muito tempo (a conversa reside mais em problemas e assuntos da casa).

Além disso, eu não gosto de carne de coelho e de carneiro. De vez em quando, gosto muito de misturar doce com salgado. Mas fora isso, como bem em casa, ainda bem. Faço terapia duas vezes por mês, e acho que tô melhorando um pouco. Costumo ser razoavelmente otimista e gente boa na realidade, se bem que muita gente me acha um purgante nas redes sociais.

Mas na rua, eu falo muito e me divirto. Sempre me dou sorte de encontrar alguém quando saio sozinho. Eu não tenho medo e nem receio de viajar sozinho. Até gosto. Muito.

Sou formado em Direito (E PIOR QUE AINDA TEM GENTE QUE NÃO SABE!!!). Minha especialização em Direito Público sai em poucos dias.

Shopping eu não tenho andado muito, apesar de gostar. E não bato muita perna em centro. Acreditem.

Em casa, nos últimos tempos, sou eu que tenho segurado as pontas aqui. Não falo financeiramente, mas psicologicamente mesmo. Queria muito que as pessoas dependessem menos de mim.

Amo descrever, de verdade. Mas tenho uma preguiça nata a isso. E é foda. Sou procrastinador doentio. Detesto isso.

Meus amigos acham que não dou atenção o suficiente pq não saio e nem converso com eles. Mas eles não sabem que essa é a minha natureza. Sou tímido em chamar pra sair. Sei lá, desenvolvi um bloqueio. Tenho superado isso, mas é mais fácil alguém me chamar que o contrário.

Não conto parte dos meus problemas a ninguém pra não incomodar. E daí desconto nas redes sociais.

Acreditem: guardo muita coisa. Desde segredos a mágoas.

A grande real é que nunca namorei de verdade. Mas me apaixonei sim, e meu coração foi maltratado. 😦

Não tenho maturidade emocional pra: dispensar alguém, manter relacionamento com alguém, aguentar foras de alguém.

Minha autoestima passa por momentos de alta e baixa autoestima. Se alguém não quer ficar comigo, já penso que sou o mais feio da balada.

Paixões incondicionais: Pokémon, coxinha e dinheiro.

Sim, sou absurdamente materialista sem esquecer que priorizo o interior da pessoa.

E acho que é só o que vocês precisam saber. Tem muita coisa minha, mas acho que contar tudo perde a graça. 😉

Anúncios
 

Uhu.

Bota qualquer música que esse gif serve. melhor gif.

 

20 fotos legais (mas amadoras, vai) que tirei no Rio de Janeiro. <3

Como prometido no Twitter, aí vai as 20 fotos. <333333

1)

 

 

 

2)

 

 

3)

 

 

4)

 

 

5)

 

 

6)

 

 

7)

 

 

8)

 

 

9)

 

 

10)

 

 

11)

 

 

12)

 

 

13)

 

 

14)

Suite Skyline 4

 

 

15)

 

16)

 

17)

 

18)

 

19)

 

20)

 

 

~~~BÔNUS~~~

21)

só os lindos no jantar de sábado. <33333

22)

VSF MAINHA GATÍSSIMA

23)

Bruno e Diego, dois amor <333333

24)

Foto tirada pelo menino @dcassus no Leblon. (e postada no Instagram) ❤

[x]

Fotos tiradas com o Samsung Galaxy Nexus/X, a 5 Mpx. Excetuando a de número 24, que foi tirada no iPhone do Daniel. 🙂

P.S.: queria tirar a foto do Rocco, o cachorro do Cássio, mas não deu. 😦 Mesma coisa com o povo da Gang do Eletro e de alguuumas coisinhas tbm. HIHI

 

 

Recap dos últimos dias da minha vida.

1) dos 30 dias com Android (e minhas lições de ter sido assaltado)

Setembro, dia 29. Finalmente havia chegado o celular que tanto queria. Um Galaxy X (ou Nexus, por causa de probleminhas que tivemos no Brasil). Fiz uma festa. Comprei um celular muito legal, bonito, estiloso, com funções que não teria no meu Nokia C3 de guerra. Aí tá. Fiquei usando por 30 dias até ser assaltado. Coincidentemente, no dia 29 de Outubro. Roubaram meus dois telefones. E o dinheiro na minha carteira (que sobrou do Rio).

(quem tiver lendo isso favor NÃO CONTAR AO POVO DA MINHA CASA pq senão quem fode sou eu obrigado)

E acabou mundo. Senti que cortaram dois braços. Simplesmente amputaram o pouco de felicidade que tenho na vida. Um celular que comprei com o suor do meu trabalho, e o dinheiro que economizei na viagem que fiz ao Rio. Fiquei atônito, chocado, desnorteado. Chorei várias vezes. Foi uma violência psicológica muito grande. Não recomendo a ninguém.

E do pouco tempo de Galaxy Nexus, às vezes me pergunto: vale a pena viver uma vida que você não quer ou que não pode viver a vida que você quer? A vida é maior que tudo isso? Os crackudos merecem viver? Bandidos  que roubam pessoas honestas todo-santo-dia merecem estar vivos? Deus está me testando, me dando uma lição ou me dando algum tipo de sinal? São perguntas que me faço durante o dia.

Sabe, a sensação de ser assaltado (e pior: de não contar aos seus pais para eles não se preocuparem/se chatearem/se aborrecerem, achando que a culpa é sua; disse a eles que meu telefone ficou pra assistência; vou comprar um outro x/nexus esta semana) é horrível. A cena me vem várias vezes. O meu telefone indo embora. O Cerberus e o Prey não funcionando mais. E o dinheiro, que servia pra pagar minhas dívidas? Onde irei arranjar essa grana, uma vez que usei o salário pra pagar minhas outras contas? O ladrão dificultou minha vida, me deixou triste. E quero muito que ele se foda.

Pq vou ter compaixão cristã se ele não teve comigo no momento do assalto? Se quisesse uma grana, que vá trabalhar, ou pedir esmola. Mas me assaltar como ele foi é foda. Me senti ultrajado.

Não vou mentir que o Estado deve melhorar muito na Educação e na distribuição de renda (o Brasil está entre os países com a maior desigualdade social do mundo), e deve dar chances às pessoas para crescer e ser alguém na vida. Mas acho que o “Não Roubarás” deve ser aplicado a todos nós. Desde eu, até os crackudos e políticos que gerenciam a máquina estatal. E, quem não seguir, que morram. Decapitados.

Direitos Humanos, sim. Mas para quem é honesto, trabalhador e que respeitam outros seres humanos. E os seus bens.

E das lições?

1) crackudo merece morrer;

2) fazer seguro é a melhor opção;

3) testar seus apps de segurança;

4) já falei que crackudo merece morrer?

2) Ah, o Rio?

Viagem maravilhosa, conheci amigos lindos. ❤ O final de semana foi bem bacana, e pude conhecer algo que não conhecia do Rio a algum tempo atrás (14 anos kkkk). Mas vamos às constatações:

2.1) cara, que cidade linda. Caótica, como qualquer cidade grande. Mas linda. Linda, com gente bonita, com um astral bacana. 🙂 Entendo pq tem tanta gente apaixonada pelo Rio de Janeiro. Fiquei bem triste (e meus amigos tbm) por ficar só no final de semana. Mas eu volto, gente. Eu prometo.

2.2) o carioca. cara, o carioca é um povo muito bonito (E QUEM FALAR QUE NÃO É VOU DIZER QUE É RECALQUE). Mas sabe? Eu achei meio antipático. Sabe aquele povo que acha que é bonito e acredita e faz carão pra tudo? Foi o que achei do Rio. Outra coisa: achei o povo do Rio um povo mole. ISSO QUEBRA O MITO. VÃO DEIXAR? ~mythbusters~

2.3) melhores praias… E as baladas? A Praia de Ipanema, meu Deus… Que delícia! <3333 Uma praia super do bem, com gente diferente, pessoas legais, um clima bacana… Das duas vezes que fui com os amigos, amei nas duas. Na moral! Eram pessoas de todo estilo. Se bem que fiquei meio envergonhado de ter ficado sem camisa. hahahahahaha Em contrapartida, nas baladas… Blz que tive sorte de ir a duas festas legais. Uma que a Polly organizou na Casa da Matriz (e eu gostei e achei super organizado; tinha um pessoal bonito na festa e eles tinham mojitos e outros drinks maravilhosos <3) e outra com o DJ Waldo Squash na Fosfobox, da gloriosa Gang do Eletro ❤ (dancei até com a Keilinha da banda, MELHOR COISA DO MUNDO <33333). Mas… O Rio não é tão diversificado nas baladas como em SP. Queria fazer escalas enormes (MESMO MORTO) pra emendar nas baladas, mas nunca achava uma coisa legal (ou bagaceira) pra ir. Mas acho que devo ter ido no final de semana errado, pq vcs, cariocas, vão ter VALESCA, GABY AMARANTOS E MAIS DE MIL (sdds vem ser minha cliente). <333333 E vcs querendo morar num engodo chamado Aracaju FAÇAM-ME O FAVOR VIU

2.4) amigos que fiz: beijos pro Cássio, Gilberto e Daniel (por um dos melhores jantares da minha vida <333333); pro Daniel (de novo rs) e pro Thiago (pela praia massa de Ipanema, pelas trolladas no app-laranja-e-preto e pelo Fellini, que é um restaurante a quilo sensacional); pra Lua (minha mai, e o namorado dela, Bruno), Ly (e o marido dela, o André), Bi e Dani pelo jantar incrível, pelas conversas maravilhosas e pelo Ice de Kiwi maravilhouso (SDDS); e pro Bruno e pro Diego, pela companhia maravilhosa na praia (tô devendo uma ida a Nitcheroy. Vai ser MEMORÁVEL. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA). E é isso, tô com saudades de vocês, das conversas, das companhias, de tudo. Prometo. Voltarei logo pra amar mais vocês. E quem não me viu, ver-me-á. MUAHAHAHAHAHAHA =p

2.5) PAI/MAITROCÍNIO: agradecimentos ao pai pela companhia na viagem e à mãe pelo financiamento do meu final de semana. Foi massa demais. Amo vocês sempre. E me desculpa por não ser um bom filho de vez em quando.

3) Revendo planos e metas…

Comecei a comer menos nas refeições. Quero ser mais magro. Tá até adiantando. Tenho comido mais salada, mais coisa saudável… Sò falta ter uma coragem legal pra jogar Dance Central. hahahahahahaha Ademais, preciso fazer um resgate espiritual a minha pessoa e achar respostas a alguns dilemas que eu tenho. E tentar achar o rumo na minha vida, e chega dessa divagação filosófica pq vcs não merecem. Boa Noite.

E fiquem com:

<33333333

 

Vimeo test.

Depois de oitenta anos, fiz um perfil no Vimeo. Com ele, eu pretendo postar algumas filmagens em HD na época que eu tava em São Paulo, no mês de Novembro. Pra estrear, postei uma performance de uma banda brasileira chamada Garotas Suecas, tocando no Planeta Terra. E adivinha quem tava lá para prestigiar/dançar uma música que eles vão tocar no vídeo? Taca o play! 😀

#iguinSPTour2011: Planeta Terra! Garotas Suecas – Banho de bucha from Igor Maia on Vimeo.

(so 2011, mas foi lindo demais aquela hora. <3)

 

Você quer esperar? OK. Mas… (ou: um relato de um ex-virgem de 23 anos.)

Hoje à noite, me deparo com uma coisa curiosa no Twitter: essa tag aqui, o #euescolhiesperar. Eu fiquei bem curioso sobre o que consistia, e fui clicar.

É algo legal tratar da primeira vez como se fosse aquela vez especial, aquele que merece o seu sexo. Aquela coisa de esperar para se fazer a vontade de Deus (o que acho meio errado), etc. Eu não vou criticar tal posição de vida pq isso é coisa de gente babaca. Mas vou dar uma opinião sobre isso. Sim, senhores, já esperei a pessoa especial perder comigo.

Primeiramente: vamos falar sobre vontade. Não aquela que seus amigos pressionam, mas aquela que tá dentro de você. Você REALMENTE quer isso? Ó. NÃO MINTA. PQ MENTIR PRA DEUS É PECADO. Amigo, você quer dar (ou comer, né? vai que…). Amiga, você quer dar? Se sim, se isso é o que VOCÊ quer, e não o que os outros te obriguem, go ahead. Deus quer te ver feliz, sem fazer mal a ninguém, e sem machucar outras pessoas (bom, este é meu Deus, claro). Eu demorei a engatar na miha vida sexual: 18/19 anos, mais ou menos. E não foi idealizado por pessoas normais, mas vivo bem com isso. Até pq, sexo se tornou pra mim algo mais de necessidade básica, não algo como uma espécie de pacto a ser selado que muita gente quer fazer.

Segundo: vale a pena esperar? Lembrando que, depois, aos 30 ou 40, a procura será BEM  menor, pq a humanidade é assim. Menos os holísticos, os iluminados, os sobrehumanos. E aí (sobretudo as mulheres) tem de desenvolver técnicas de sedução aos senhores (ou senhoras) que já estão enfadados de pegar gente inexperiente no sexo. Daí vem aquele argumento: MAS JESUS QUER QUE A GENTE ESPERE… Tábom, minha filha. Mas eu te digo logo: é cilada. CI-LA-DA. Faça uma busca sobre isso e me fale. Será que alguém que esperou tem uma experiência maior do que não viveu? Se tiver, que ótimo. Mas uma pessoa que não viu os dois lados da moeda não sabe direito o que se passa na vida.

Terceiro: em nome de Deus… PELAMOR DE DEUS (sorry! foi desproposital), pare de colocar tudo em nome de Deus. Faça isso por você. SE VOCÊ QUISER. Deus não vai te castigar se você decidiu fazer amor com o seu primeiro namorado (ou primeira namorada), mas que é um (a) canalha. Banalizar tudo pra Deus é um pecado. “só vou fazer isso se Deus gostar…” wrong! O certo é fazer o que você quer. Depois de pensar muito, claro. Daí Ele vai ver se curtiu a sua escolha ou não. E se não curtiu, e você se arrepender… Bom, sabe o caminho. 😉

Eu, honestamente, falo com certo conhecimento de causa. Sexo é uma necessidade como qualquer outra. Sério. Se você idealiza, é um direito seu. Mas você pode se machucar mais idealizando. Você pode não sentir o verdadeiro prazer quando você quer. É difícil pensar nisso. Mas eu já passei por isso. Achava que o sexo era uma daquelas coisas lindas de novela, você esperava uma pessoa especial e vivia feliz pra sempre. (!!!) Mas vamos aos fatos:

1) a vida não é uma novela;

2) sexo, se deixar aproveitar na melhor idade, pode ser muito mais cruel que você pensa;

3) imagine um produto ou algo como uma vestimenta. se esperar pra usar, acaba ficando inutilizado por falta de uso;

4) nem tudo é como a gente quer. (@Sinceridades feelings)

A partir do momento que há aquela vontade de se libertar, de querer transar, de viver a vida, podendo se machucar e aprender coisas novas, aí é que você vai ver se vale a pena transar loucamente ou não. Pq esse povo que pretende esperar, na minha opinião, não vive (no sentido de aproveitar e aprender com a vida) como gente que dá loucamente, ou gente que tem uma vida sexual razoável (como eu, kkkk)

[NOTA: NUM TÔ AQUI DIZENDO QUE É PRA VOCÊ DEIXAR O CELIBATO E TRANSAR COM TODO MUNDO, QUE A IDEIA NÃO É ESSA. Se quiser transar, transe. Mas com responsabilidade. Use camisinha, escolha bem com quem quer transar, etc. Viva, o mais importante. E aprenda com os erros que você cometer. E construa sua história de vida.]

Bom, não me arrependo de nada. =)

 

Sobre bebidas, caronas e baladas.

Tá decidido. Não vou mais a nenhuma balada neste semestre. Os motivos são diversos. Eu tenho uma monografia para acabar, tive de levar bronca do meu pai duas vezes só na semana que passou, minha mãe passando O DIA TODO buzinando no meu ouvido. VOCÊS PENSAM QUE É FÁCIL? Pra dar um fim a todo esse pandemônio, decidi dar um fim nas farras, ao menos por enquanto. E tentar focar na minha vida. Pelo menos sozinho. Agora vem os motivos que me fizeram tomar esta decisão:

a) eu: Tenho saído mais com meus amigos que com outros. Nunca mais os vi, nem tenho notícia. =/ Outra: meus pais. Toda semana me veem sair e ficam me dando bronca pq fiz isso ou aquilo. (meu pai conversou comigo como se eu tivesse dormido com alguém sem camisinha e virado um alcoolatra sem escrúpulos e nem caráter -Q) E eu simplesmente enjoei de coisas que aconteciam quando eu saía. Sem levar em conta que pretendo me afastar das bebidas quando eu for pra farra.

b) caronas: SÉRIO. Tem me deixado puto essa questão de carona. Senti saudade na sexta quando saí, me lembrando que saía pras baladas de ônibus (ou táxi), e voltada idem, com horário bonitinho, sem dar satisfação ou sem depender de ngm. Parece que, hoje em dia, não rola mais. Me sinto O MOTORISTA DA BALADA. Mas vale ressaltar que há caronas e CARONAS. Tem gente que é maravilhosa quando se dá carona. É super comportado. Obedece a ordem de ir, voltar, tudo bonitinho, tudo certinho. Eu me orgulho de gente assim, e é o que vou levar sempre pros lugares. Meu outro problema é com OUTRO TIPO DE CARONA. Aquele tipo que não vai no horário que você quer, faz birra, te atrasa na hora de ir embora, ainda pede pra levar um pessoal extra e me provoca um alto grau de stress. É como se você fosse o motorista deles. Sem levar que eles contribuem pra levar bronca em casa, coisa QUE ODEIO. Não levo mais. Honestamente. Cansei. Falei até a um amigo meu sobre isso. Só dou carona se eu quiser. Não vou mais ficar levando e trazendo fulano que me traz raiva. E se eu não tiver minha carona, eu dou meu jeito. Volto de ônibus, ué. Eu sou independente, no meu jeito. 😉

c) bebidas: preciso ficar longe duns bons drink por tempo determinado. Até pq temos o fígado para cuidar, e a reputação idem. Mas aí que tá. Se eu me afastar, vou ficar meio irritado com as mesmas pessoas e não vou ter história pra contar. Mas se beber, eu fico com a reputação meio manchada, vem a ressaca moral, mas terei me divertido. O que fazer? Mas não importa, pelo menos agora. Acho que o principal motivo d’eu ter enjoado de tudo isso são…

Volto no forró pra amar vocês, meus miguinho de balada. Enquanto isso, me curtam no facebook ou me sigam no Twitter. Tchau! 🙂