RSS

Arquivo da categoria: momentos

~~~você fica criticando a imposição do padrão de beleza, mas faz igual~~~

Image

Nick Jones em uma foto no Instagram. META. \o/

Primeiramente, boa noite.
Segundamente (sic), acho que sou responsável pelas coisas que digo. E esclarecer é privilégio, não obrigação. Diquinha.
Terceiramente (sic), não sei.
E quartamente (sic), APPLAUSE. KKKKKKKKKKKKKKKK Parei. *ca-hem*

Como todos sabem, eu sempre tive uma visão crítica das coisas. Seja pra algumas coisas, ou outras… Eu sempre tenho ciência da realidade que me cerca.

Só não tenho manifestado a opinião de tudo pq sempre haverá dissidentes, e as pessoas desaprenderam a discutir ou a manter a amizade depois de uma ótima discussão. Aí mostro minha opinião curtindo algumas coisas e não curtindo outras. Empobrece o mundo? Claro que empobrece. Mas em contrapartida, ganho mais saúde e disposição pra viver. E continuo com amigos. 🙂 Ônus e bônus, essa patacoada.

E uma dessas minhas opiniões (às vezes comuns, outras controversas, poucas erradas pra caralho mesmo) envolve a questão da aparência. Como todos sabem, eu sou crítico ferrenho da cultura da barba. E somente isso. Eu tenho meus motivos, e eu os exponho neste link. Mas há uma observação que queria fazer: NUNCA fui crítico ferrenho do corpo alheio. Crítico no sentido de criticar a ditadura do corpo perfeito e tal. Seria muita hipocrisia dizer que não acho bonito. Acho. Mas não me impede de pegar alguém barrigudo ou coisa parecida. Não me impede de VIVER, e isso é bem importante.

Mas vamos ao ponto principal pelo qual estou criando esse post. Como sou crítico ferrenho da barba (ironicamente, tô usando uma. Mas só tô usando por ter preguiça de fazer. Minha barba grande é ridicularizada em 80% das vezes), argumentei em uma conversa com um amigo que só trocar barba por barriga tanquinho que o sentido seria igualmente escroto.
Desculpa, mas não seria mesmo?

Segue-se a seguinte frase:

“Ai, adoraria esse homem de barba na minha cama…”

Trocando o termo “barba” por braço sarado, olha como fica:

“Ai, adoraria esse homem de braço sarado na minha cama”

ou por barriga trincada:

“Ai, adoraria esse homem de barriga trincada na minha cama”

ou por olhos azuis:

“Ai, adoraria esse homem de olhos azuis na minha cama”

Parece um argumento ridículo (e é!), mas as pessoas batalham tanto pela real beleza que acabam moldando parâmetros pra acharem uma barba bonita. Dizem: ah, tem de ser cheia, seu rosto tem de ser quadrado, só serve em modelo, não serve em você… E no final das contas, você, que criticava o culto doentio pelo corpo perfeito, acaba, OH THE IRONY, apelando pelo culto doentio pela barba perfeita.

Sinceramente? Preferiria o povo cultivando o corpo perfeito. Perdia pouco tempo em ser babaca.

E quanto ao corpo, decidi retomar meu regime e voltar a academia (alguém se lembra do WOWITT? Retomarei este Domingo. :D). E tenho postado meu êxito com a dieta e com a academia. Até apelei o nerdismo ao falar de Fitocracy. Alguns amigos disseram: CUSPINDO PRA CIMA? FAZENDO O QUE VOCÊ SEMPRE CRITICOU?

Primeiro: nunca critiquei o estilo #bornthiswhey (proj @ferrreira) que o povo tem adotado. Inclusive, acho ótimo. 😀

Segundo: meu sonho de ter um corpo magro e definido é coisa antiga. Desde meus tempos de guri, eu sofria bullying constante por causa do meu peso. Eu era gordinho quatro olhos que usava aparelho e muito retardado que ninguém andava na escola. Como vocês acham que eu me sentia? Sempre quis ser o mais sarado, o mais desejado da galera. Ralei muito pra ser uma pessoa melhor. Usei aparelho, aprendi a ter um senso melhor… Mas meu instinto de gordo sempre atacava. E não vou mentir que anda bem difícil de controlar, depois de tanto tempo agindo como gordo. Mas vai fazer um mês de dieta, e bom, emagreci uns seis quilos. Tô no começo, alguns amigos tão apoiando, tô achando ótimo. 😀

Terceiro, e o mais importante: infelizmente, você só é alguém na vida se você for: BONITO, SARADO OU RICO. Inteligência ou outros atributos maravilhosos das pessoas sempre ficam em último plano. Como me conformei no fato de que a aparência importa mais (e que não tenho tempo pra ficar me impondo sendo excludente, somado ao fato de que não sou de ser hipster na aparência), eu decidi fazer dieta e malhar. Claro, há a questão da saúde e autoestima. Mas ser uma pessoa com um corpo DOS SONHOS é algo que tem me movido. A meta é postar uma foto de cuequinha. SARADÍSSIMO. Mas vou conseguir pq tô batalhando pra isso. E isso vai servir em me dar mais gás a outras metas que tenho, como ter um emprego melhor.

Tá sendo legal cuidar melhor do meu corpo. Embarquei no projeto por motivos frívolos, mas temos de ter motivação pra QUALQUER COISA que você queira fazer na vida, né?

Enfim. Esse texto é pra simplesmente fazer o que eu gosto de fazer: esclarecer meus pontos de vista e dar alguma satisfação nas minhas opiniões. Não que você se importe. Ou que você ache relevante. Mas me vejo no direito de fazer isso.

Direito. Pq não tenho obrigação a fazer algo tão pessoal como ESCLARECER PRÓPRIAS OPINIÕES, sendo que nem pessoa pública ou influente eu sou. 🙂

Anúncios
 

Sobre bebidas, caronas e baladas.

Tá decidido. Não vou mais a nenhuma balada neste semestre. Os motivos são diversos. Eu tenho uma monografia para acabar, tive de levar bronca do meu pai duas vezes só na semana que passou, minha mãe passando O DIA TODO buzinando no meu ouvido. VOCÊS PENSAM QUE É FÁCIL? Pra dar um fim a todo esse pandemônio, decidi dar um fim nas farras, ao menos por enquanto. E tentar focar na minha vida. Pelo menos sozinho. Agora vem os motivos que me fizeram tomar esta decisão:

a) eu: Tenho saído mais com meus amigos que com outros. Nunca mais os vi, nem tenho notícia. =/ Outra: meus pais. Toda semana me veem sair e ficam me dando bronca pq fiz isso ou aquilo. (meu pai conversou comigo como se eu tivesse dormido com alguém sem camisinha e virado um alcoolatra sem escrúpulos e nem caráter -Q) E eu simplesmente enjoei de coisas que aconteciam quando eu saía. Sem levar em conta que pretendo me afastar das bebidas quando eu for pra farra.

b) caronas: SÉRIO. Tem me deixado puto essa questão de carona. Senti saudade na sexta quando saí, me lembrando que saía pras baladas de ônibus (ou táxi), e voltada idem, com horário bonitinho, sem dar satisfação ou sem depender de ngm. Parece que, hoje em dia, não rola mais. Me sinto O MOTORISTA DA BALADA. Mas vale ressaltar que há caronas e CARONAS. Tem gente que é maravilhosa quando se dá carona. É super comportado. Obedece a ordem de ir, voltar, tudo bonitinho, tudo certinho. Eu me orgulho de gente assim, e é o que vou levar sempre pros lugares. Meu outro problema é com OUTRO TIPO DE CARONA. Aquele tipo que não vai no horário que você quer, faz birra, te atrasa na hora de ir embora, ainda pede pra levar um pessoal extra e me provoca um alto grau de stress. É como se você fosse o motorista deles. Sem levar que eles contribuem pra levar bronca em casa, coisa QUE ODEIO. Não levo mais. Honestamente. Cansei. Falei até a um amigo meu sobre isso. Só dou carona se eu quiser. Não vou mais ficar levando e trazendo fulano que me traz raiva. E se eu não tiver minha carona, eu dou meu jeito. Volto de ônibus, ué. Eu sou independente, no meu jeito. 😉

c) bebidas: preciso ficar longe duns bons drink por tempo determinado. Até pq temos o fígado para cuidar, e a reputação idem. Mas aí que tá. Se eu me afastar, vou ficar meio irritado com as mesmas pessoas e não vou ter história pra contar. Mas se beber, eu fico com a reputação meio manchada, vem a ressaca moral, mas terei me divertido. O que fazer? Mas não importa, pelo menos agora. Acho que o principal motivo d’eu ter enjoado de tudo isso são…

Volto no forró pra amar vocês, meus miguinho de balada. Enquanto isso, me curtam no facebook ou me sigam no Twitter. Tchau! 🙂

 

>#igorversusaracaju: Aracaju e o gay que aqui reside.

>

Boa Noite pra você que tá fazendo regime e decidiu criar um blog sobre isso e deletar outros que, sei lá, não precisavam existir na blogosfera. 
 
Decidi reorganizar minha vida virtual e, por um acaso, escrevi um texto muito bom sobre os gays daqui. Teve um comentário, mas é nada mais nada menos que um retrato cruel e preciso desses indivíduos nesta cidade. Segue texto e, a partir de Domingo, falarei de coisas da minha cidade. =)
 
[X]
Boa Noite.
 
Como alguns que devem me conhecer, eu sou o Igor, e cuido deste twitter. (também tenho facebook tbm, se interessarem.) Tenho 23 anos, sou entusiasta das novas tecnologias e tenho um fraco por comida. Mas um fraco mesmo. Por isso que sou meio fora de forma. HAUEHAUEHAUEHAUE
 
E decidi criar este espaço pra colocar minhas impressões sobre a cidade de Aracaju. Algo como: Aracaju na vista de um aracajuano. Mas por quê a necessidade?
 
Acho que faltava um espaço que eu dissesse, sem apelar pro twitter, as coisas que penso da minha cidade. Uma cidade que almeja ser grande, mas temSÉRIOS problemas em ter mentalidade de cidade pequena.
 
O principal motivo? Segue relato.
 
Estava eu no Twitter quando vi algum comentário sobre o Pré-Caju (uma micareta daqui). As pessoas estavam comentando que não queriam num bairro nobre da cidade pq atrapalha todo o trânsito. Ok.
 
A grande questão foi que eu perguntei QUAL LUGAR seria melhor para ser realizado o evento. Nenhuma resposta. E quando eu sugeri que fosse feita na Zona de Expansão, as pessoas quase iam me bater pq não queria lá. Sobretudo um funcionário do governo que sequer respondeu a minha indagação sobre uma sugestão de outro local. Finalmente, o que concluí?
 
Simples. Um dos traços mais fortes do aracajuano é criticar, sem mostrar uma outra proposta. Queria debater, mas é aquela coisa: parece que ninguém está disposto a isto.
 
Mas eu tô. Se eu não me enjoar desse blog.
 
A proposta principal é contar de causos e carasterísticas dessa cidade que se proclama como capital da qualidade de vida, quando, na verdade… Num chega nem a 45% disso.
 
[X]
 
E o primeiro tema versa sobre um assunto meio delicado, e que sei pq existem pessoas que sou amigo e convivem direto com esta realidade: o gay de Aracaju.
 
Aracaju não é uma São Paulo. Por causa de um tudo. Conservadorismo na cabeça de muitos (até dos ditos “moderninhos”, falta de opções bacanas para o público específico, uma praia que não é bonita, e etc. Quem mora aqui, sabe de tudo isso.
 
Muita gente diz que Aracaju não tem muitos gays, não tem muitas opções de gente. Pois digo: tem. E muita gente é, sim.
 
Pode ser o seu professor, o seu primo, o seu colega de classe, o seu colega de trabalho… Sempre tem em qualquer lugar. Mas acordado com minhas pesquisas, Aracaju tem muitos. Mas não existiriam em estatísticas oficiais, se houvessem.
 
Melhor perguntando: como Aracaju não tem tantos gays, ao mesmo tempo que tem, e em excesso? Por que é tão complicado namorar ou se relacionar com um gay por estas bandas daqui? Segue motivos.
 
 
1) Ficar no armário é a solução mais cômoda. A opção da pessoa ficar no armário é livre. Você vive no Estado Democrático de Direito. Só sai dele se achar melhor. Acaba sendo a melhor das opções por causa de uma sociedade machista, patriarcal e cheia de perigos como a nossa. Salvaguarda a casa, a família, o emprego, a própria vida da pessoa. Mas, por outro lado, esse ocultismo pode acarretar num certo conformismo nas agressões que envolvem pessoas como eu (que sou gay) e você. Pode resultar num escassamento de opções pra encontrar pessoas que tenham os mesmos gostos que você. E, com isso, vamos ao segundo ponto,
 
2) EXCESSO DE CRITÉRIOS. O grande problema do gay é que ele tem a capacidade de discriminar alguém do seu próprio gueto. Ex.: fã de Madonna que hostiliza fã da Bethânia que hostiliza fã da Ke$ha que hostiliza… (e segue a chain). A pessoa desenvolve critérios tão altos pra se relacionar com alguém que tá mais fácil ela comprar um iPad cravejado de Swarovsky que namorar. Por isso, acaba-se apelando pra Internet e viagens a outros lugares, comoSALVADOR (irei discutir sobre isso em um outro assunto). O bacana é ver se a pessoa é legal, é maneira, tem um papo legal, com gosto legais. E não com exigências absurdas.
 
3) A massificação do ser. Acho de um absurdo tão grande a pessoa gostar das mesmas coisas, dos mesmos filmes. Por exemplo: eu não sou fã de Glee. Mas um amg meu AMA. O que acho foda é isso. A gente batalha todo dia pra ser diferente quando, de repente, um se torna diferente do que as pessoas dizem por diferente e já hostilizam. É como se houvesse umaPADRONIZAÇÃO do que seja o dito “comportamento gay”. Dou um exemplo prático: digamos que um fã de Ivete Sangalo gosta muito da cantora, e eu fiquei afim. Acontece que eu adoro bandas como… Nine Inch Nails. E a pessoa começa a te criticar pq ouve um cara que xinga Deus e o mundo, é depressivo, e outras baboseiras. Porra. Teus antepassados LUTARAM pra gente ser livre, e tu vem dessa?
 
4) A própria mentalidade do gay aracajuano. Em Aracaju, ainda se tem aquela ideia de que quem vai pra bar gay é um cidadão de segunda classe. Queima a sua reputação. A sua família fica horrorizada. Logo, os melhores partidos vão para baladas onde se encontram héteros ou pessoas ditas “no seu nível social”. E o resto vão pra esses bares, dando a impressão de ser baixaria. É uma posição lamentável. Outro ponto a ser discutido é a acomodação de muitos em não lutar pelos seus direitos ou não criar novas opções de encontros, se limitando a um fator que citarei up next.
 
5) PANELINHAS. Já imaginou você conhecer pessoas que nem falam direito com você pq fazem parte de uma panelinha que num vai com a tua cara? Já passei por isso. E ainda passo! Algumas vezes já tiveram momentos que eu tinha de sair de perto depois de uns 30 segundos pq depois o clima ia ficar desagradável. Viver num mundo que é só você e alguns da panelinha, com festas que você e alguns da panelinha fazem, é chato, é entediante. Já pensou o quão melhor a cidade seria se as pessoas não fossem tão fechadas nisso, tão… Metidas, vamos dizer assim?
 
E estes são os meus motivos. Se tiver alguma opinião sobre o tema, ou sugestão de novas pautas, por favor. Fica à vontade. =)
[X]
Legal, né? Se não gostou, foda-se, KKKKKKKK. Ah, mudando de assunto: sabe o projeto Born This Way Brazil? Eu tô participando. Participe você também. =)
 

>King of all the fl00ds.

>

 

A Rosana passou uma lista de quem mais Twitta no Brasil. E olha quem tá nessa lista, no número 65? AHAN, o dono deste blog.

Entendeu pq esse blog vive sempre desatualizado, e o cantinho pro Twitter, não?

Link aqui.

(e quem curte meus fl00ds, dá um add em @mob_igormaia. se não, tem um backup introspectivo, @imymemine_igor.)

 

>#BOWIEDAY (foi ontem, rs)

>

 

DavidBowie001

Ontem, dia 8, foi o aniversário de David Bowie (caramba, e nem sabia que o Bowie era capricorniano). Para comemorar esses 63 anos de pura LOOOOOZ (pq ele merece, e serve de influência de 10 entre 10 glam artists deste planeta, pq vai de Lady GaGa a Igor Maia [ALASKA]), decidimos fazer esse simples post e mostrar toda a nossa gratidão por ter produzido tanta coisa legal pra todos nós. (e acho de uma afronta ngm fazer uma nota pra dizer os parabéns de Bowie ou coisa parecida. E MUITO MENOS COLOCÁ-LO NUM TRENDIND TOPICS DO TWITTER. ¬¬)

 

Anyways, nosso TOP 10 de tchytchyo Bowie! Selecionamos o que achamos de mais relevante pra conhecê-lo, de início. Pq a discografia é extensa. Mais de 4 GB no torrent, FICA A DICA.

 

10 – Life on Mars

9 – Young Americans

8 – China Girl

7 – Hallo, Spaceboy

6 – Heathen

5 – Pablo Picasso

4 – Space Oddity

3 – Little Wonder

2 – Ziggy Stardust

1 – Heroes

 

Eis minha playlist. Happy B Day, Bowie. =*

 

>The Dot and The Line.

>

 

Uma ideia geniosa que tiveram. Que tal fazer uma estória de amor geométrica?

A animação é de 10 minutos, mas tem cada metáfora poderosa que só vendo.

Anywaaaays, assista. O audio é em inglês.

 

>Retratos de um Louboutin queimado. (ou quebrado.)

>

 

(para ler ouvindo Louboutins, da Jennifer Lopez. só clicar na imagem e se deliciar!)

 

Nossa, faz décadas que não escrevo meus fatos pessoais, né? Pois aqui estou eu, de volta para retratar a minha noite deste sábado, deste final de semana. Pois então. Disse ao longo dos dias que eu ia queimar meus louboutins. E queimei. Mas tive de jogá-los fora, pq estavam inúteis demais. SAD. Mas enfim. Não importa. Vi os meus amigos, me diverti, bebi, e dancei MUITO. Mas claro, tenho de compartilhar algumas coisas com vocês.

 

Primeiramente, vamos a um código de conduta que aprendi nas buatchy da vida? PRIMEIRO. Não se lambe ninguém na pista de dança, no barzinho, em qualquer coisa que seja. Sobretudo se for em alguém que esteja comprometido. Isso é nojento. Isso é falta de postura. Isso é apelação. SEGUNDO. Se tu tem mais de 40 anos de idade, mas curte ir a buatchy, go ahead. Mas POR FAVOR. Não se comporte como um teenzinho deslumbrado de 15, 17 anos, certo? Saiba se portar. O que se conclui que lambidas de senhor de 40 anos é muito inadequado. SEGUNDO. Se você tem um amigo ou uma amiga que quer sensualizar com alguém, pelamordedeus, NÃO ATRAPALHE. Sobretudo se você não sabe dançar direito ou não sabe chegar de uma forma legal. Deixa a pessoa cortejar sozinha, isso incomoda a outra pessoa (e a amiga) e a distrai, certo? TERCEIRO. Se você quer captar futuros namoros, não beba. Deixa pra pisar na jaca quando você quiser se divertir. Caso contrário, nem invente. Já pensou, você, meio fora de senso, ficar causando bafão por aí? Coisa muito feia, não acha? QUARTO. Fique cheirosinho e bem arrumado na buatchy. Mas isso todo mundo sabe. QUINTO. Compre aqueles sticks de menta (ou hortelã) pra garantir aquele aroma gostoso na boca. Pq beijar com gosto de álcool não dá, NÉ COLEGA?

 

Mas tô aqui mesmo pra falar sobre… BEBIDAS. weeeeeeeeeeeeeee Ontem eu inventei de beber uma iguaria que apelidei carinhosamente de…

 

XIXI DE GATO, miau.

 

Primeiramente, você vai precisar de vodka e energético, só. HEHEHEHEHEHEHE Se quiser, bote um pouco de cachaça, gim, martini, rum, ou qualquer coisa que dê uma cor de… Urina, risos. Agora, agite e beba. Ou sirva pras amiga em um copo de buteco. HEH

 

Outra dica?

 

URINA DO CAPETA. Muita loucura.

Eu queria que esse nome fosse a da minha invenção, mas como deu um #FAIL lindo, então vai a da receita que encontrei pela Internets:

 

Ingredientes:

  • 3 doses de suco de Abacaxi;
  • 1 dose de Cachaça;
  • 1 dose de Gim;
  • 1 dose de Vodka.

 

Modo de preparo:

Bater tudo junto no liquidificador e servir com bastante gelo.

 

Fácil, né gente? Simples e claro como… Lavar pratos. =P

Adicionem essas receitas na seção de coquetéis no maravilhoso caderno da Palmirinha pra vocês e… ARRASEM na bebidinha. XD