RSS

Arquivo da categoria: inusitado

Curso das magnéticas e o medo atual da solidão.

Esta semana a Internet estava impossível. Além das groselhadas que fui obrigado a ouvir/ler durante a semana, juntamente com um projeto de lei chamado ESTATUTO DO NASCITURO (sério, procurem no Google pra ver a marmota que é essa lei), uma das coisas que mais me chamou atenção foi o show das magnéticas.

A minha reação foi PRATICAMENTE ESSA.

A matéria, como explicitada no site da Folha (dica: abre esta matéria na janela anônima no seu navegador se você estourou a quota de leitura), fala do curso que uma mulher oferece àquelas que querem um marido. Muita gente se revoltou, xingou muito nas redessociais, achou um retrocesso depois de tanto tempo das mulheres lutarem para alcançar seus objetivos…

Seguem os melhores trechos:

“Na abertura do curso, Eliete explica que, como a Lua, as mulheres têm fases e é preciso respeitá-las. Pelo menos uma vez por mês, a mulher deve tomar um banho mais demorado e tirar um dia para apenas ingerir líquidos, cuidados que, avisa, se perderam com o tempo.

Após esse breve prólogo, dá-se início a um capítulo sobre etiqueta. Na tela está uma imagem de um sutiã em chamas. A professora diz: ‘Não foi nossa culpa que elas fizeram isso, mas precisamos resgatar a feminilidade e a tolerância se quisermos relacionamentos duradouros’.

(…)

Para a psicóloga Ana Letícia Pereira, 30, o capítulo foi bastante proveitoso. Ela acredita que perdeu um partidão por ter feito um pedido diretamente para o garçom durante um jantar. ‘Demonstrei ser independente demais.’

(…)

Um dos slides mostra que 50% das pessoas não querem parceiros acima do peso. A própria Eliete costuma rejeitar gordos em sua agência. “Sou carinhosa e assertiva, digo que se ela emagrecer aumentará seu leque de oportunidades”, explica. Mas há gordos magnéticos, não?, a reportagem pergunta. “Não é o que dizem as pesquisas.”

(…)

A primeira regra é a pontualidade. “Qual o problema em deixar um pretendente com uma Mercedes esperando na porta da sua casa por 15 minutos?” “Todos”, responde a plateia. São Paulo é uma cidade perigosa, além de ser sinal de falta de respeito, segundo as participantes.

Outro item elementar é o salto alto. “Sei que rasteirinhas e sapatilhas estão na moda, mas para atrair devemos usar salto”, diz Eliete. Ela mesma não descansou um segundo do seu salto 12.

(…)

Quem quer relacionamentos duradouros não deve transar na primeira noite, e o homem é quem paga o primeiro jantar. Mas a magnética também pode ser ousada e ligar no dia seguinte para agradecer o passeio, diz a professora, que informa estar há um ano e meio com um novo amor, após o divórcio.

Haja bobagem, né? Também acho.

E comecei a pensar se isso rolar com os homossexuais do sexo masculino (sim, você mesmo, guei): seja másculo. aprenda a ser versátil (se for passivo). use barba. tenha carro e se vista bem. malhe na academia que nem um condenado. Enfim, você ser um projeto de macho alfa.

É algo que tenho escutado isso dos meus amigos: não arranjo ninguém pq não me cuido, não ajo como dito “”””homem””””. Infelizmente, tenho de concordar. Gente freak não arranja ninguém tão facilmente.

E é por isso que esses cursos de “etiqueta” fazem sucesso pelo seguinte: mais do que ser feliz, nossa segunda principal meta na vida é não ficar sozinho.

A sociedade anda tão agressiva e competitiva que parece uma conditio sine qua non ter alguma espécie de namoradx. É como se representasse uma espécie de triunfo sobre as pessoas. “TÁ VENDO? EU NAMORO PQ SOU MARAVILHOSO, E VOCÊ?”.

As pessoas, mais do que nunca, ultimamente querem uma companhia. Uma companhia dos sonhos. E daí, você precisa se moldar aos sonhos das pessoas pra atrair xs eventuais pretendentes. Nem que para isso você tenha de ser uma moça casta e delicada/um moço garboso e elegante dos anos 50, o que deixa as feministas urrando de raiva. Você pode ter até uma companhia, agindo como uma boneca. Acontece que essa companhia será boa pra você? Nunca saberemos.

É nessa ânsia da gente não querer ficar só, aliados aos nossos sonhos absurdos (ainda que inconscientes) de estórias inesquecíveis que queremos vivenciar, além do indivíduo inseguro de si e com medo de ficar sozinho no mundo que é submetido a esse tipo de curso pra se tornar uma magnética.

Você pode até não ficar sozinhx, dada a alta taxa de sucesso, mas aí vem a grande pergunta: ser amadx por todxs, mas cuja personalidade não condiz com a sua essência, ou ser você mesmx e correr o risco de ficar só?

Acredite, não é uma pergunta fácil.

Anúncios
 

Tags: ,

(mais de) uma semana de cicloativismo¹.

(¹ cicloativismo, na verdade, é forma de dizer. O que faço é apenas substituir o transporte que normalmente ando e trocar por bicicleta)

Andar de bike sempre foi um problema pra mim. Quando guri, tentava andar, mas nunca conseguia. Meu pai me obrigava a andar de bike cedo todo sábado e isso estragava meu final de semana. Primeiro: não conseguia andar direito e ficava frustrado. Segundo: passava Xuxa e queria ver (olha a ideia da criança). Daí meu pai desistiu e me tornei um adolescente obeso, sedentário e que morria quando fazia algum esforço físico. Por algum momento, decidi andar de bike no sítio da família em um dia aleatório de 2001, aos 13 anos. E comecei a andar. 😀 Claro, superei o trauma, e me apaixonei em andar de bike. Mas é uma arte arcana que esquecia de praticar. Até uns dois anos atrás.

Um amigo meu decidiu incentivar a minha pessoa em andar de bike. Mandava textos, opinava sobre a carrodependência, essas coisas. E eu, de repente, abracei a causa. E até mesmo apoiar o cicloativismo de verdade. Não chego a participar de eventos ou bicicletadas, mas posso dizer que sou simpático a causa. E daí que, um dia desses, decidi andar de bike pra resolver minhas coisas do cotidiano pela manhã e tarde. O meu carro tinha batido (VOLKSWAGEN, DOIS MESES PRA ENTREGAR MEU CARRO CONSERTADO? ESQUERO QUE ESTEJA BOM, OU VAI SOBRAR PRA VOCÊS), e tava enjoado de perder UMA HORA num trajeto que demoraria 25 minutos de bike ou 15 de carro; daí a ideia de andar de bike. No entanto, pra isso, tinha de superar alguns obstáculos e reformar a minha bike.

1) Paranoias de mãe: desculpem às minhas amigas que já são mães, mas… Tem indivíduo mais paranóico que as nossas mães? Se tiver, fale nos comentários pq EU DESCONHEÇO. Mãe tem aquele mal de amar demais, e por amar demais, costuma falar besteiras ou até mesmo vetar coisas simples. Como andar de bicicleta. Segundo minha mãe,

1) BICICLETA MATA;

2) BICICLETA PODE SER ROUBADA;

3) BICICLETA FAZ VOCÊ SUAR.

Eu já discuti SÉRIO com minha mãe sobre o simples fato de querer andar de bicicleta. (isso vocês nem sabem do AUÊ que rolou em casa pq eu disse que queria andar de patins) Não dando resultado, decidi ir ao trabalho escondido de bike. Ela descobriu essa semana, por sinal. Culpa do meu pai, que falou. RSRSRS Daí que, você vê, mães. A gente faz escondido pq não gostamos de levar repressões em algo que nem mal faz. =P

2) O renascimento de uma bike morta: antes de andar, tinha de ~ajeitar~ a bicicleta. E o pior é que ela tava toda fodida: enferrujada, pneus murchos, marcha lascada, etc. etc. Fui num mecânico e pedi pra ajeitar. Ficou joinha e usável, o que é mais importante. Comprei sinaleta, refletores, sinlizadores… Tudo bonitinho pra ser uma bike urbana. E num é que a bicha tem dado pro gasto? ❤ Tá maltratada, mas tá me servindo. E isso é o que importa.

3) Aracaju e sua cultura raivosa dos carros: Aracaju tem 600 mil habitantes e é uma cidade pequena. No entanto, ela tem muito mais carros que pessoas. E o trânsito tem ficado igual ao de cidade grande. Isso atrapalha toda uma mobilidade de uma cidade que não soube crescer direito. Mas este não é o ponto principal.

O ponto principal é: Aracaju é MUITO raivosa com quem não tem carro. Quem já andou de bike, percebe isso. NORMALMENTE, os carros vêm voando, com uma velocidade acima do normal. E apesar de haver muitos km de ciclovias, os carros normalmente não respeitam uma simples bike pq… Ela não está numa ciclovia. Boo.

E some ao fato de não haver bicicletários e algumas pessoas rirem da tua cara quando você diz que tá de bike. HAHAHAHAHAHAHAHAHA

4) A bike e os seus efeitos: é muito pouco pra dizer o que mudou na minha vida ao começar a andar de bike. Continuo na merda, sempre. Mas é uma perspectiva interessante você como ciclista no trânsito. Você vê o outro com outros olhos. Este é um ponto positivo muito forte. Mas, essas de descobrir novas rotas e ir a caminhos mais simples eu ainda não descobri. Não consegui ter um google maps pra minha vida, imagine agora. E apesar de ser uma forma saudável de locomoção na cidade e perder uns quilos (ASSIM EU ESPERO, PQ OLHA), eu fico extremamente enfadado por andar no calor, sem falar no suadouro lindo que fiquei. Quando cheguei em casa, tava um pavor de tão suado. Tudo bem que sou obeso e o caralho a quatro, mas se eu andasse no frio, eu acho que nem suaria. hahahahaha E bom, como disse, só mudou o fato de eu andar nos lugares mais rápido, compreensão de perspectiva e só. PQ NEM PRA PAQUERAR NGM ME PAQUEROU, HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA

E é isso. Boa Terça a todos.

 

Igor.

Nessas férias, eu simplesmente não sei o que faço. Já dizia alguém sábio de que a cabeça vazia é oficina do Diabo. Não consigo ter grandes ocupações, a não ser jogar/dormir/trabalhar/comer/sair. E só. E não consigo evoluir como pessoa (ainda que ache que um jogo como Gears of War me faça evoluir como pessoa, mas…)

A grande verdade é que não sei o que faço. E se sei, não tenho cabeça pra isso. Talvez muito se deve ao fato de não ter planejado devidamente para o que quero (e pretendo!) fazer.

Tenho um concurso pra estudar. Mas sem cabeça pra isso.
Tenho OAB. Mas sem cabeça pra isso.
Quero criar um post pro meu outro blog. Mas sem cabeça.
E quero ficar com um corpo maneiro. Mas sem cabeça.
E pós. E isso. E aquilo!

Minha cabeça tá simplesmente dizendo: ACORDE PRA VIDA, TU TEM DE SUBIR MUITO AINDA NA VIDA.

Mas minha cabeça anda numas de ficar em brancas nuvens que me parece a Lindsay. Fica toda zuada na buatchy, se encrenca, mas toma um banho de piscina e se pergunta: e agora? O que faço da minha vida?

(fiz 24 anos no dia 10 de Janeiro. Parabéns pra mim.)

 

Você quer esperar? OK. Mas… (ou: um relato de um ex-virgem de 23 anos.)

Hoje à noite, me deparo com uma coisa curiosa no Twitter: essa tag aqui, o #euescolhiesperar. Eu fiquei bem curioso sobre o que consistia, e fui clicar.

É algo legal tratar da primeira vez como se fosse aquela vez especial, aquele que merece o seu sexo. Aquela coisa de esperar para se fazer a vontade de Deus (o que acho meio errado), etc. Eu não vou criticar tal posição de vida pq isso é coisa de gente babaca. Mas vou dar uma opinião sobre isso. Sim, senhores, já esperei a pessoa especial perder comigo.

Primeiramente: vamos falar sobre vontade. Não aquela que seus amigos pressionam, mas aquela que tá dentro de você. Você REALMENTE quer isso? Ó. NÃO MINTA. PQ MENTIR PRA DEUS É PECADO. Amigo, você quer dar (ou comer, né? vai que…). Amiga, você quer dar? Se sim, se isso é o que VOCÊ quer, e não o que os outros te obriguem, go ahead. Deus quer te ver feliz, sem fazer mal a ninguém, e sem machucar outras pessoas (bom, este é meu Deus, claro). Eu demorei a engatar na miha vida sexual: 18/19 anos, mais ou menos. E não foi idealizado por pessoas normais, mas vivo bem com isso. Até pq, sexo se tornou pra mim algo mais de necessidade básica, não algo como uma espécie de pacto a ser selado que muita gente quer fazer.

Segundo: vale a pena esperar? Lembrando que, depois, aos 30 ou 40, a procura será BEM  menor, pq a humanidade é assim. Menos os holísticos, os iluminados, os sobrehumanos. E aí (sobretudo as mulheres) tem de desenvolver técnicas de sedução aos senhores (ou senhoras) que já estão enfadados de pegar gente inexperiente no sexo. Daí vem aquele argumento: MAS JESUS QUER QUE A GENTE ESPERE… Tábom, minha filha. Mas eu te digo logo: é cilada. CI-LA-DA. Faça uma busca sobre isso e me fale. Será que alguém que esperou tem uma experiência maior do que não viveu? Se tiver, que ótimo. Mas uma pessoa que não viu os dois lados da moeda não sabe direito o que se passa na vida.

Terceiro: em nome de Deus… PELAMOR DE DEUS (sorry! foi desproposital), pare de colocar tudo em nome de Deus. Faça isso por você. SE VOCÊ QUISER. Deus não vai te castigar se você decidiu fazer amor com o seu primeiro namorado (ou primeira namorada), mas que é um (a) canalha. Banalizar tudo pra Deus é um pecado. “só vou fazer isso se Deus gostar…” wrong! O certo é fazer o que você quer. Depois de pensar muito, claro. Daí Ele vai ver se curtiu a sua escolha ou não. E se não curtiu, e você se arrepender… Bom, sabe o caminho. 😉

Eu, honestamente, falo com certo conhecimento de causa. Sexo é uma necessidade como qualquer outra. Sério. Se você idealiza, é um direito seu. Mas você pode se machucar mais idealizando. Você pode não sentir o verdadeiro prazer quando você quer. É difícil pensar nisso. Mas eu já passei por isso. Achava que o sexo era uma daquelas coisas lindas de novela, você esperava uma pessoa especial e vivia feliz pra sempre. (!!!) Mas vamos aos fatos:

1) a vida não é uma novela;

2) sexo, se deixar aproveitar na melhor idade, pode ser muito mais cruel que você pensa;

3) imagine um produto ou algo como uma vestimenta. se esperar pra usar, acaba ficando inutilizado por falta de uso;

4) nem tudo é como a gente quer. (@Sinceridades feelings)

A partir do momento que há aquela vontade de se libertar, de querer transar, de viver a vida, podendo se machucar e aprender coisas novas, aí é que você vai ver se vale a pena transar loucamente ou não. Pq esse povo que pretende esperar, na minha opinião, não vive (no sentido de aproveitar e aprender com a vida) como gente que dá loucamente, ou gente que tem uma vida sexual razoável (como eu, kkkk)

[NOTA: NUM TÔ AQUI DIZENDO QUE É PRA VOCÊ DEIXAR O CELIBATO E TRANSAR COM TODO MUNDO, QUE A IDEIA NÃO É ESSA. Se quiser transar, transe. Mas com responsabilidade. Use camisinha, escolha bem com quem quer transar, etc. Viva, o mais importante. E aprenda com os erros que você cometer. E construa sua história de vida.]

Bom, não me arrependo de nada. =)

 

>REVISÃO DOS MEMES NOS ÚLTIMOS MESES (ou o post que o Sorte de Hoje deveria ter)

>Olá, internautas (dilma),

Já sabem que Dilma é a nossa presidente, Aguilera vai lançar um musical com a Cher, as Americanas tá vendendo DVDs de séries e filmes a 30 reais, a webjet é apertadinha… Mas não sabe dos vídeos que tão (ou tavam, né) bombando na Internet. Vim pra fazer um RÁPIDO recap pra você se tocar do que tá rolando. VEM, GENTE [/xuxaverde]

(disclaimer: este post serve também a você que acompanha o meu Tumblr, o sorte de hoje. obrigado pela clicadinha. =*)

1) O ET BILU:

QUER DIZER. Bilu. UM ET. UMA LENDA. UM MITO. UM GRITO. Na boa, se você NUNCA viu, merecia MORRER *BANG* Mas sério. Tudo começa com um ar fajuto de ficção científica feat. drama, em busca do extraterrestre que decidiu desbancar o famoso ET de Varginha. Ou o Chupacabra. (reza a lenda que ele está em Aracaju, cuidando de um barzinho #INTERNA) Mas comovente é o diálogo, que se resume no seguinte:

– Bilu quer uma coisa.
– repórter tentando barganhar com uma OSTRA.
– Bilu emanando luz. (tbm, com esse apelido…)
– E Bilu fazendo A PEDANTE. (busquem conhecimentos)

Só queria dizer que, mesmo me dando AFLIÇÃO nesse vídeo (juro), acho que é fake. Mas, se não for, o bilu tem uma pele que é parecida com um pessoal que tem doença rara. Tipo, A Ictiose do tipo Harlequin. (não botei imagem aqui pq, olha. FICA POR TUA CONTA E RISCO. Joga o termo no Google. E aflija [?] comigo. =~~~ [/epicdrama])


Mas, mudando de assunto. O @casagrande_ (um querido, por sinal) viu o Bilu em uma revelação surpreendente. (NÃO REPAREM NA BELEZA DO MOÇO, POR FAVOR? FOCO NO BILU)

para maiores detalhes, siga o Carlos e faça as perguntas a ele, flw


2) I WHIP MY HAIR BACK AND FORTH (x 873 vezes)
(obrigado pelo gif, Clóvis!)
HIT DE 2010slash11. Na boa. Imagine você, do nada, ouve essa música na rádio? E começa a agir que nem a moça endemoniada do video? É, amg. É. E a música gruda no chiclete. O refrão é por deveras maneiro, e bem dançante. E ó. CRIADO POR UMA MENINA DE 10 ANOS. E Rihanna, aprenda, viu? Um beijo.
3) ARETUZA, A MULHER QUE VOMITA. [/eca]

Acho que TODO MUNDO viu. Menos eu. Mas eu dispenso a olhadinha pelo seguinte: filmar uma pessoa vomitar é meio grotesco. Eu aaaaaaaaaaacho. Nada contra quem curte. Mas uma dica: clica o vídeo pra ir no YouTube e veja o subtítulo: O BLASTOISE BRASILEIRO. KKKKKKKKKKKKKKKKKKK SIMIJEI

No mais, erh. Sem mais.

4) TULLA LUANA, A CONSUMIDORA QUE QUER O SEUS DIREITOS

Era uma vez, uma senhora. Ela joga os apps do orkut. Se sente lesada com uma empresa terceirizada do Google. E decide fazer um video. Não só um. Mas VÁRIOS vídeos. Até um pra ROSANA HERMANN (e ela reagiu dando um hadouken num post. veja aqui.).

Mas… E você? O que acha que falta? O que deveria ser colocado nessa temática? SE JOGUE NOS COMENTÁRIOS, SEUS LINDOS. Ou ligo pra Cheryl Cole que se entupiu de feijoada com repolho roxo ir pra tua casa e soltar um peido gostoso. Beijos.

 

>Motivo pelo qual sinto falta da MTV.

>

 

Quando assinei a Sky, perdi a MTV Brasil. Curtia a programação, sobretudo a Dani Calabreza e etc. Deu pra contornar com a VH1, mas nem é a mesma coisa.

E hoje vi um video que… Taí, queria a MTV Brasil de volta na grade da Sky. =~~~

 

 

Da arte de queimar as pessoas com classe, 2010.

 

>EU ACHO ISSO UMA PUTA FALTA DE SACANAGEM

>

 

Tava eu, muito filiz, voltando de uma balada na sexta (onde me deparei com coisas, erh, um pouco irreais que não comentarei aqui, por hora, quando volto e venho checar minhas coisas aqui. De repente, me deparo com ESSE video.

 

Considerações:

– Nome do vídeo fala de uma banda punk chamada RESTART, ou seja.

– A moça surtando (motivando o título do post).

– Os fãs manifestando ao pichar (?) UMA PAREDE COM CANETINHAS.

– E uma mãe solidária com os filhos ao perder ESSE show, quer dizer.

 

Olha, baseado neste video (o que eu ri, sendo muito franco), eu tenho uma opinião a dizer. Não necessariamente ao video, mas à nossa conduta perante a pessoas mais jovens do que nós. Melhor explicando: porque nós somos tão datados? Pq as nossas guilty pleasures valem tanto, e a dos adolescentes, não?

Pq, né? Você que fica detonando Restart VAI ME DIZÊ que tu não ouvia uma época dessas CPM 22 ou Detonautas? E nem venha pq as duas não tinham uma qualidade musical, erh, notável. Mesma coisa ao ouvir Britney Spears na época do Oops… I did it again, ou Shakira cantando Pies Descalços. Ambas são pop, meio bobas e VENHA NÃO PQ TENHO ENVERGADURA MORAL DE FALAR, OK

As pessoas só atingem maturidade quando se deparam com algo ruim, uma guilty pleasure. Só conseguem ser mais felizes se acompanharem o prazer de ouvir coisas que não são ruins, mas são divertidas. Nem todo mundo é sério, e se diverte ouvindo Beethoven, ou Mars Volta, por exemplo. (ok, tem como, mas tô falando no sentido não tão ilícito da coisa) Teve gente que gostou dos Menudos! Da Baby Consuelo cantando Barrados na Disneylândia. Do É o Tchan. E olha que são coisas que a gente tem vergonha de admitir. (diferentemente de mim, que curte um tecnobrega gostoso. até baixei setlist do DJ CREMOSO, pra você ver).

Então, kiddos, quer rir, ria. Mas NUNCA se esqueça do seu passado guilty. N-U-N-C-A.

(lembrando que este blog não é fã e nem tem amigos no Restart. Grato.)

 

UPDATE: pq amo o Twitter:

#putafaltadesacanagem

(clica pra ver melhor, rs)