RSS

Arquivo da categoria: coisinhas que odeio

Recap dos últimos dias da minha vida.

1) dos 30 dias com Android (e minhas lições de ter sido assaltado)

Setembro, dia 29. Finalmente havia chegado o celular que tanto queria. Um Galaxy X (ou Nexus, por causa de probleminhas que tivemos no Brasil). Fiz uma festa. Comprei um celular muito legal, bonito, estiloso, com funções que não teria no meu Nokia C3 de guerra. Aí tá. Fiquei usando por 30 dias até ser assaltado. Coincidentemente, no dia 29 de Outubro. Roubaram meus dois telefones. E o dinheiro na minha carteira (que sobrou do Rio).

(quem tiver lendo isso favor NÃO CONTAR AO POVO DA MINHA CASA pq senão quem fode sou eu obrigado)

E acabou mundo. Senti que cortaram dois braços. Simplesmente amputaram o pouco de felicidade que tenho na vida. Um celular que comprei com o suor do meu trabalho, e o dinheiro que economizei na viagem que fiz ao Rio. Fiquei atônito, chocado, desnorteado. Chorei várias vezes. Foi uma violência psicológica muito grande. Não recomendo a ninguém.

E do pouco tempo de Galaxy Nexus, às vezes me pergunto: vale a pena viver uma vida que você não quer ou que não pode viver a vida que você quer? A vida é maior que tudo isso? Os crackudos merecem viver? Bandidos  que roubam pessoas honestas todo-santo-dia merecem estar vivos? Deus está me testando, me dando uma lição ou me dando algum tipo de sinal? São perguntas que me faço durante o dia.

Sabe, a sensação de ser assaltado (e pior: de não contar aos seus pais para eles não se preocuparem/se chatearem/se aborrecerem, achando que a culpa é sua; disse a eles que meu telefone ficou pra assistência; vou comprar um outro x/nexus esta semana) é horrível. A cena me vem várias vezes. O meu telefone indo embora. O Cerberus e o Prey não funcionando mais. E o dinheiro, que servia pra pagar minhas dívidas? Onde irei arranjar essa grana, uma vez que usei o salário pra pagar minhas outras contas? O ladrão dificultou minha vida, me deixou triste. E quero muito que ele se foda.

Pq vou ter compaixão cristã se ele não teve comigo no momento do assalto? Se quisesse uma grana, que vá trabalhar, ou pedir esmola. Mas me assaltar como ele foi é foda. Me senti ultrajado.

Não vou mentir que o Estado deve melhorar muito na Educação e na distribuição de renda (o Brasil está entre os países com a maior desigualdade social do mundo), e deve dar chances às pessoas para crescer e ser alguém na vida. Mas acho que o “Não Roubarás” deve ser aplicado a todos nós. Desde eu, até os crackudos e políticos que gerenciam a máquina estatal. E, quem não seguir, que morram. Decapitados.

Direitos Humanos, sim. Mas para quem é honesto, trabalhador e que respeitam outros seres humanos. E os seus bens.

E das lições?

1) crackudo merece morrer;

2) fazer seguro é a melhor opção;

3) testar seus apps de segurança;

4) já falei que crackudo merece morrer?

2) Ah, o Rio?

Viagem maravilhosa, conheci amigos lindos. ❤ O final de semana foi bem bacana, e pude conhecer algo que não conhecia do Rio a algum tempo atrás (14 anos kkkk). Mas vamos às constatações:

2.1) cara, que cidade linda. Caótica, como qualquer cidade grande. Mas linda. Linda, com gente bonita, com um astral bacana. 🙂 Entendo pq tem tanta gente apaixonada pelo Rio de Janeiro. Fiquei bem triste (e meus amigos tbm) por ficar só no final de semana. Mas eu volto, gente. Eu prometo.

2.2) o carioca. cara, o carioca é um povo muito bonito (E QUEM FALAR QUE NÃO É VOU DIZER QUE É RECALQUE). Mas sabe? Eu achei meio antipático. Sabe aquele povo que acha que é bonito e acredita e faz carão pra tudo? Foi o que achei do Rio. Outra coisa: achei o povo do Rio um povo mole. ISSO QUEBRA O MITO. VÃO DEIXAR? ~mythbusters~

2.3) melhores praias… E as baladas? A Praia de Ipanema, meu Deus… Que delícia! <3333 Uma praia super do bem, com gente diferente, pessoas legais, um clima bacana… Das duas vezes que fui com os amigos, amei nas duas. Na moral! Eram pessoas de todo estilo. Se bem que fiquei meio envergonhado de ter ficado sem camisa. hahahahahaha Em contrapartida, nas baladas… Blz que tive sorte de ir a duas festas legais. Uma que a Polly organizou na Casa da Matriz (e eu gostei e achei super organizado; tinha um pessoal bonito na festa e eles tinham mojitos e outros drinks maravilhosos <3) e outra com o DJ Waldo Squash na Fosfobox, da gloriosa Gang do Eletro ❤ (dancei até com a Keilinha da banda, MELHOR COISA DO MUNDO <33333). Mas… O Rio não é tão diversificado nas baladas como em SP. Queria fazer escalas enormes (MESMO MORTO) pra emendar nas baladas, mas nunca achava uma coisa legal (ou bagaceira) pra ir. Mas acho que devo ter ido no final de semana errado, pq vcs, cariocas, vão ter VALESCA, GABY AMARANTOS E MAIS DE MIL (sdds vem ser minha cliente). <333333 E vcs querendo morar num engodo chamado Aracaju FAÇAM-ME O FAVOR VIU

2.4) amigos que fiz: beijos pro Cássio, Gilberto e Daniel (por um dos melhores jantares da minha vida <333333); pro Daniel (de novo rs) e pro Thiago (pela praia massa de Ipanema, pelas trolladas no app-laranja-e-preto e pelo Fellini, que é um restaurante a quilo sensacional); pra Lua (minha mai, e o namorado dela, Bruno), Ly (e o marido dela, o André), Bi e Dani pelo jantar incrível, pelas conversas maravilhosas e pelo Ice de Kiwi maravilhouso (SDDS); e pro Bruno e pro Diego, pela companhia maravilhosa na praia (tô devendo uma ida a Nitcheroy. Vai ser MEMORÁVEL. HAHAHAHAHAHAHAHAHAHA). E é isso, tô com saudades de vocês, das conversas, das companhias, de tudo. Prometo. Voltarei logo pra amar mais vocês. E quem não me viu, ver-me-á. MUAHAHAHAHAHAHA =p

2.5) PAI/MAITROCÍNIO: agradecimentos ao pai pela companhia na viagem e à mãe pelo financiamento do meu final de semana. Foi massa demais. Amo vocês sempre. E me desculpa por não ser um bom filho de vez em quando.

3) Revendo planos e metas…

Comecei a comer menos nas refeições. Quero ser mais magro. Tá até adiantando. Tenho comido mais salada, mais coisa saudável… Sò falta ter uma coragem legal pra jogar Dance Central. hahahahahahaha Ademais, preciso fazer um resgate espiritual a minha pessoa e achar respostas a alguns dilemas que eu tenho. E tentar achar o rumo na minha vida, e chega dessa divagação filosófica pq vcs não merecem. Boa Noite.

E fiquem com:

<33333333

Anúncios
 

555¹ da depressão.

Tem coisa pior que esperar por uma ligação, e ela nunca vir? Aquela sms confortadora (ou reconfortante) e ela nunca vem por algum motivo escuso ou desconhecido? Aquela ligação importante que você queria receber. Ou aquela ligação constrangedora denotando a tua falta. O celular acabou se tornando uma praga dos tempos modernos. Uma. Praga.

O advento do celular ajudou a aproximar pessoas, ao passo que ajuda a afastar. É aquela parábola do progresso caranguejo, como citou o Lucas, de acordo com um filósofo que não me lembro. E não basta aproximar/afastar. Ainda tem o fardo de amplificar ansiedades, expectativas como um todo. Todos aqueles males que a humanidade sofre desde os primórdios.

Claro que ele serve pra muita coisa. Pra jogar. Pra se comunicar. Pra twittar. Pra atualizar status de facebook. Pra dar checkin no foursquare. Até pra jogar Angry Birds. Mas a tormenta mestre começa na arte de você conhecer alguém, AQUELE alguém, e ficar cheio de expectativa. Você imagina: vou casar. Ter filhos. Vamos viver juntos e fazer um sexo maravilhoso depois de 7 filmes e meus pais vão adorar. Mas aí ele não manda mensagem. Ou nem liga. E você entra naquele tormento de achar que fez cagada quando, na verdade, nem foi isso.

Mas pior mesmo é ser dispensado numa foda por causa de carro.

– alô?

– hey, véi, blz? Vi seu número e decidi te ligar.

– hm… Como tu é?

– (descreve as características). Vem pra faculdade?

– talvez.

– tem carro?

– tenho. mas não tá comigo.

– ah, agora tenho que desligar pois minha namorada chegou.

– ah, é? e…

– ah, depois eu ligo.

 

Não sei se chegou mesmo. Mas foi um dos perdidos mais idiotas que já levei na vida.

Tô pensando em passar meu número pra algum dos meus desafetos. O que acham?

 

¹NOTA: 555 é o número de resgate no Japão. É o SAMU (192) de lá. Já foi inspirado em tokusatsus, a exemplo do GoGoV (que virou Power Rangers: Lightspeed Rescue) e Kamen Rider 555, cuja op ilustra o tema abordado aqui. O motivo se deve a fazer alusão do telefone salvar de tédio ou da solteirice infinita. Ou coisa parecida.

 

Calvin Harris, mercado pop e gente babaca.

hai mai neimi ês CALVE RÉURRIS

Eu adoro o Calvin Harris. É um dos meus DJs favoritos, se eu tivesse, o chamaria pra tocar na minha festa de aniversário, e ele lançou dois discos excelente: o I Created Disco (que, por sinal, nomeia o canal dele no YouTube) e o Ready For The Weekend. Como forma de trollar, digo pra muitos amigos que prefiro ele a David Guetta. E olha que os dois são farofas no mesmo nível, como disse a Flávia Durante, quando conversávamos sobre eles a algum tempo atrás. Enfim, toda essa explicação se deve ao texto a seguir.

Sábado eu saí. E meu pai, me levando pra balada, com minha irmã (oi, eu sou o Igor, e tenho 15 anos. Teria, se tivesse vivo) e uns amigos dela. E me deparo com Bounce. Bom, WHADDAHECK IS BOUNCE? THIS:

E enquanto tocava Bounce na Jovem Pan, comecei a ficar maravilhado de como o povo (aracajuano, sobretudo) é um antro de babaquice, sobretudo nesses detalhes infames que envolvem a música. Explico melhor com um outro fato ocorrido comigo.

Eu tava felizinho, ouvindo Calvin Harris. Um amigo meu (que não vou citar o nome) simplesmente reclamou que tava ouvindo Calvin e queria ouvir a Jovem Pan. Ok. Tomae. E toma remix de drag, músicas do eurobeat (apesar do nome, é um gênero PRA LÁ DE CAFONA, fica a dica ae), e Calvin Harris. Ele, claro. Não reclamou. Achou ótimo.

E qual foi a conclusão? THIS²:

(pra quem não conseguiu ler: Nego é tão babaca que, quando ouve Calvin Harris, pede pra trocar [ou seja, não gostou, e fica murmurando, e o troxa bota uma música pop da vida]. E quando toca CALVIN HARRIS na Pan, nem reclama. ME POUPE VIU)

É inacreditável como as rádios tem o poder de agregar babacas em relação à música. Babaca no sentido de torcer o nariz pro que é desconhecido e começar a gostar por tocar nas rádios da vida. Eis o mercado pop, senhores.

Lady GaGa é um exemplo. Ela era apenas uma loira bonitinha que cantava Just Dance e, se tocasse numa rádio aqui, era um choque. Hoje em dia virou uma grande estrela do pop (RAINHA NÃO; Madonna <3) em apenas 3 anos e todo mundo a conhece. Tvz mais pelo estilo que pelas letras ou pela música (mas o Born This Way é bão.)

Outro exemplo: David Guetta. Mermão, na moral: você realmente conhecia? Ele um dia desses era dj de coletânea do Multishow. Hoje em dia todo mundo quer trabalhar com ele. O QUE É UM INFERNO.

E mais recentemente, Adele. Artista formidável, com uma puta voz. Ela já existia a tempos. Mas o pessoal só foi conhecê-la agora, com Rolling in The Deep, etc.

Eu fico puto pq vejo que muita gente às vezes tem uma preguiça do novo, e só quer saber do que realmente conhece, do que é seguro. Isso não vai pra lugar nenhum. Evolução ocorre quando você abre a sua mente pro novo e pro desconhecido. E não em viver numa realidade que você está acostumado. 🙂

(acho que tudo isso é só pra dizer uma coisa: o carro é meu e boto o que quero. e tá achando ruim, vá de ônibus. beijos.)

 

Sobre bebidas, caronas e baladas.

Tá decidido. Não vou mais a nenhuma balada neste semestre. Os motivos são diversos. Eu tenho uma monografia para acabar, tive de levar bronca do meu pai duas vezes só na semana que passou, minha mãe passando O DIA TODO buzinando no meu ouvido. VOCÊS PENSAM QUE É FÁCIL? Pra dar um fim a todo esse pandemônio, decidi dar um fim nas farras, ao menos por enquanto. E tentar focar na minha vida. Pelo menos sozinho. Agora vem os motivos que me fizeram tomar esta decisão:

a) eu: Tenho saído mais com meus amigos que com outros. Nunca mais os vi, nem tenho notícia. =/ Outra: meus pais. Toda semana me veem sair e ficam me dando bronca pq fiz isso ou aquilo. (meu pai conversou comigo como se eu tivesse dormido com alguém sem camisinha e virado um alcoolatra sem escrúpulos e nem caráter -Q) E eu simplesmente enjoei de coisas que aconteciam quando eu saía. Sem levar em conta que pretendo me afastar das bebidas quando eu for pra farra.

b) caronas: SÉRIO. Tem me deixado puto essa questão de carona. Senti saudade na sexta quando saí, me lembrando que saía pras baladas de ônibus (ou táxi), e voltada idem, com horário bonitinho, sem dar satisfação ou sem depender de ngm. Parece que, hoje em dia, não rola mais. Me sinto O MOTORISTA DA BALADA. Mas vale ressaltar que há caronas e CARONAS. Tem gente que é maravilhosa quando se dá carona. É super comportado. Obedece a ordem de ir, voltar, tudo bonitinho, tudo certinho. Eu me orgulho de gente assim, e é o que vou levar sempre pros lugares. Meu outro problema é com OUTRO TIPO DE CARONA. Aquele tipo que não vai no horário que você quer, faz birra, te atrasa na hora de ir embora, ainda pede pra levar um pessoal extra e me provoca um alto grau de stress. É como se você fosse o motorista deles. Sem levar que eles contribuem pra levar bronca em casa, coisa QUE ODEIO. Não levo mais. Honestamente. Cansei. Falei até a um amigo meu sobre isso. Só dou carona se eu quiser. Não vou mais ficar levando e trazendo fulano que me traz raiva. E se eu não tiver minha carona, eu dou meu jeito. Volto de ônibus, ué. Eu sou independente, no meu jeito. 😉

c) bebidas: preciso ficar longe duns bons drink por tempo determinado. Até pq temos o fígado para cuidar, e a reputação idem. Mas aí que tá. Se eu me afastar, vou ficar meio irritado com as mesmas pessoas e não vou ter história pra contar. Mas se beber, eu fico com a reputação meio manchada, vem a ressaca moral, mas terei me divertido. O que fazer? Mas não importa, pelo menos agora. Acho que o principal motivo d’eu ter enjoado de tudo isso são…

Volto no forró pra amar vocês, meus miguinho de balada. Enquanto isso, me curtam no facebook ou me sigam no Twitter. Tchau! 🙂

 

>X, the post – parte 2.

>

 

(pra quem não entendeu a parte 1, aqui)

NOTA: este post era pro blog do João Pedro, o comofis/, mas achei útil compartilhar com vocês, minhas amigas, e aprender a fazer a ORIGAMI FACE. Sobretudo pro exu dos seus ex. beijos.

Então, vamos ao relato de como encontrei um dos meus ex-namorad…namoros? =P

 

Ontem, lá tava eu, muito filiz, passeando e vendo coisa bonita no meu shopping quando, de repente, eu me deparo, sabe com quem? AHAN. COM MEU EX.

O RLY TÁ BOAZINHA, TÁ?

 

E aí, eu fiz uma cara dji sympátchyca pq eu sou assim. Não guardo rancor de ex, sei que é ex, não vai rolar mais, e BLABLABLABLABLABLAZZZZZZZZZZ

Tá certo. Encontro o ser e ele diz:

 

– Olha, quanto tempo, como vai o intestino você? Nunca mais me ligou…

 

Aí eu tava com meu deck do YuGiOh pra casos práticos (um dia divido com vocês), procurei, procurei, procurei, até achar esta carta aqui:

 

Magic_fieeeerce

 

Quer dizer, fiquei um DOCE [/ironia] de pessoa com ele. Falei que tava trabalhando, e etc e tal. Daí que ele (levando-se em conta que é MEU EX e é LOUCO POR MIM) me vem e fala, quando fui fazer a LOUCURA de dar o número pra ele:

 

– Qual o seu nome mesmo que esqueci?

– Mas cara, tu não sabe  O MEU NOME? Cê num tava dizendo que tava louco por mim?

– Mas acontece, né.

AHAN, CLÁUDIA.

– Mas diga logo teu nome, que esqueci.

– …Igor. ué. ¬¬’

– Deixa de ser bruto. Mas DUVIDO que você não se lembre do meu sobrenome.

– Ah, é… Esqueci.

– É SICRANO (não vou dizer o nome dele, TÁ LOKO?)

– ERHM. Mas é SEGUNDO NOME.

 

*BOOOOOOOM* na face dele que ele não sabia NEM o que era SOBRENOME e muito menos o SEGUNDO NOME. O pior é que ele começou a falar que tava com saudade de mim, de como era bom nossos momentos juntos (e eu fazendo AQUELA cara da Tyra Banks. ou da Iman, não lembro). Acho que a carta fierce tava dando treco, e pra dar uma dificultada no jogo,

 

Magic_De tantas loucuuuuras

Pq SÓ UMA PESSOA ALCOOLIZADA queria alguma coisa com um ex que queria enlouquecidamente voltar a namorar com você ao som de? REBOLATION. Ou seja. O pior nem é isso. O pior é que quer relembrar de como tinha alguém pra fuder (pq nem namorar direito namorava, e só sabia viajar), e quer fazer tudo isso dentro de… UM CARRO. E COM CALOR DOS INFERNO. TÁ, NÉ.

E pra dar um finish logo, decidi apelar pra carta mais fodona que já criaram. ESTA AQUI:

 

Ritual_ORIGAMI FACE

Nada como fazer paisagem pra tudo. Como o fato de querer de qualquer jeito a sua pessoa, ou querer fazer coisa errada, ou casar com você de véu e grinalda… Nada como acionar esta carta e fazer paisagem. PRA TUDO.

 

Sim. Fiz o serviço com o ex, me arrumei, usei minha ORIGAMI FACE e desci em casa linda e europeia.

Lógico, nasci pra ficar arreganhada? Não fico assim pra ex, IMAGINE PRA…

 

PS: Mas Igor, poderia ter evitado, e etc. etc. etc. FOI MAIS FORTE QUE EU, TSÁ. E eu tava meio necessitado e carente, relevem. Mas usei a carta fierce, e é isso que importa. -q

 

>TESE DE MESTRADO: Como se comportar diante de um desafeto do Twitter que está ao lado de um conhecido teu.

>

 

A vida da gente é cheia de reviravoltas. Um dia, você está lindo, absoluto e dirigindo num Crossfox. Outro, você está no canto de uma buatchy vagabunda recitando de cor e salteado Baile de Peruas, do NoPorn. E dessas reviravoltas, acontecem coincidências matadoras, como aquela nêga que tu tá pegando é sua prima, ou aquele amigão seu foi o mesmo que espalhou pra TODO MUNDO que você tinha um pau pequeno, etc. etc. etc.

Mas onde quero chegar? Simples. O acaso e o carma, quando se juntam e querem fazer um combo, decidem que: 1) é hora de fuder com alguém. 2) no mal sentido. 3) no mal sentido, e de forma que te deixe, digamos, um tanto quanto constrangido. Foi o que aconteceu comigo no dia de segunda feira. Mas antes… Vamos recapitular um fato que aconteceu comigo pra vocês entenderem. (no som desta música, que vocês clicam aqui.)

este sou eu, pronto pra matar de prazer, QQQQQQQQ

 

RESUMINDO: tava eu muito filiz numa festa a fantasia quando me deparei com um menino que eu seguia no Twitter. Daí que ele nem tchuns pra mim, e blz. ele era amigo de um menino que eu falava no Twitter e até perguntei sobre esse rapaz e tal. acontece que falei uma merda pra ele, e o menino num quer saber de mim, nem o outro, que me bloqueou. tá. daí que pedi desculpas aos dois, mas a culpa ainda tá me seguindo (esqueceu de me dar unfollow).

Voltando onde eu quero chegar.

Tava eu, muito filiz, com a visita que tá passando os dias em casa e minha irmã, quando de repente me deparo com… Cristóvão (nome random e fictício), que eu tinha tido treta. Junto com ele, tava um conhecido meu que nos falamos e tal. Daí que eu fui com:

a) provocar o desafeto;

b) provocar o desafeto e fingir que não tava me sentindo bem;

c) falar com o conhecido e ignorar solenemente a presença do desafeto;

d) PARA TUDO, OLHA ESSE SHAKE! E inicia um flashmob de Single Ladies.

Bom, quem respondeu a C pelo jeito me conhece! ❤ e eu, sereno, falando, dando risada, fiz até brinks (OLHA QUE TUDO, OLHA ESSE SHAKE, minha irmâ tá com a merma camisa que a minha, ahasow)… E num me deixei abater com a merda que fiz. Até pq, eu pedi desculpa e não devo a cabeça a ninguém, correto? =)

 

Pronto, daí fui e comprei minha bermuda Sommer a 58 reais. À vista. Beijos. ❤

 

PS: Ainda há um detalhe. Me bati com Cristóvão pela primeira vez depois das tretas (um face 2 face) em plena sala de aula, enquanto tava divulgando as coisas do Centro Acadêmico. Bom, eu fingindo naturalidade (e eu tava TEMSO) e a pessoa tentando desviar. Mas, err. VEMK, eu não sou nada? Então pq ficou com o olhar cabisbaixo? Ficaí a pergunta.

PS2: E cansei de lembrar dessa bendita história toda vez. =P

 

>Exercício da viadagem (sic) suprema, parte 4.

>

 

(tô pensando SERIAMENTE em transformar esse nome do post em tag. Q Q 6 ACHÄO/)

 

Imagine você e dois amigos, doidos pra atingirem a escala do sucesso. Aí vcs veem que Crepúsculo é a tendência e pensam: vamos lá fazer um clipe no estilo vampiresco e dark pop pras minas se amarrarem e ficarem todas molhadas por nós.

Aí tem um loiro e dois morenos num clipe de uma riqueza sem fim. MORRI COM O LOIRO OK Oi, loiro, PEGAEL

Com vocês, o grupo UK e a música ECLIPSE! Riqueza-sem-fim.

 

 

– Edward Cullen PERDE.