RSS

Arquivo da categoria: born this way

Eu.

Image

Foto minha de 2011, que ¯\_(ツ)_/¯

Muita gente conhece o Igor de n formas. Pessoalmente, virtualmente, em casa, na rua, nos lugares públicos, nem tão públicos assim… Mas tem algumas facetas da minha personalidade que as pessoas não conhece. Pra não ficar totalmente escancarada, vou dizer algumas que, ao meu ver, me parecem interessantes. Mas no final das contas eu me acho uma pessoa normal…zinha.

Primeiramente, eu sou meio calado e na minha em casa. O que é um choque, pq todos me conhecem na rua como uma pessoa expansiva e comunicativa. Amo falar com as pessoas, com o mundo, me interagir com elas. Mas em casa me recolho, às vezes. E não gosto de ser importunado. Prefiro ficar aqui, falando com vocês na internet a ter de conversar com minha mãe. A gente conversa, mas somos tão diferentes que não conseguimos esboçar diálogos despretensiosos por muito tempo (a conversa reside mais em problemas e assuntos da casa).

Além disso, eu não gosto de carne de coelho e de carneiro. De vez em quando, gosto muito de misturar doce com salgado. Mas fora isso, como bem em casa, ainda bem. Faço terapia duas vezes por mês, e acho que tô melhorando um pouco. Costumo ser razoavelmente otimista e gente boa na realidade, se bem que muita gente me acha um purgante nas redes sociais.

Mas na rua, eu falo muito e me divirto. Sempre me dou sorte de encontrar alguém quando saio sozinho. Eu não tenho medo e nem receio de viajar sozinho. Até gosto. Muito.

Sou formado em Direito (E PIOR QUE AINDA TEM GENTE QUE NÃO SABE!!!). Minha especialização em Direito Público sai em poucos dias.

Shopping eu não tenho andado muito, apesar de gostar. E não bato muita perna em centro. Acreditem.

Em casa, nos últimos tempos, sou eu que tenho segurado as pontas aqui. Não falo financeiramente, mas psicologicamente mesmo. Queria muito que as pessoas dependessem menos de mim.

Amo descrever, de verdade. Mas tenho uma preguiça nata a isso. E é foda. Sou procrastinador doentio. Detesto isso.

Meus amigos acham que não dou atenção o suficiente pq não saio e nem converso com eles. Mas eles não sabem que essa é a minha natureza. Sou tímido em chamar pra sair. Sei lá, desenvolvi um bloqueio. Tenho superado isso, mas é mais fácil alguém me chamar que o contrário.

Não conto parte dos meus problemas a ninguém pra não incomodar. E daí desconto nas redes sociais.

Acreditem: guardo muita coisa. Desde segredos a mágoas.

A grande real é que nunca namorei de verdade. Mas me apaixonei sim, e meu coração foi maltratado. 😦

Não tenho maturidade emocional pra: dispensar alguém, manter relacionamento com alguém, aguentar foras de alguém.

Minha autoestima passa por momentos de alta e baixa autoestima. Se alguém não quer ficar comigo, já penso que sou o mais feio da balada.

Paixões incondicionais: Pokémon, coxinha e dinheiro.

Sim, sou absurdamente materialista sem esquecer que priorizo o interior da pessoa.

E acho que é só o que vocês precisam saber. Tem muita coisa minha, mas acho que contar tudo perde a graça. 😉

 

~~~você fica criticando a imposição do padrão de beleza, mas faz igual~~~

Image

Nick Jones em uma foto no Instagram. META. \o/

Primeiramente, boa noite.
Segundamente (sic), acho que sou responsável pelas coisas que digo. E esclarecer é privilégio, não obrigação. Diquinha.
Terceiramente (sic), não sei.
E quartamente (sic), APPLAUSE. KKKKKKKKKKKKKKKK Parei. *ca-hem*

Como todos sabem, eu sempre tive uma visão crítica das coisas. Seja pra algumas coisas, ou outras… Eu sempre tenho ciência da realidade que me cerca.

Só não tenho manifestado a opinião de tudo pq sempre haverá dissidentes, e as pessoas desaprenderam a discutir ou a manter a amizade depois de uma ótima discussão. Aí mostro minha opinião curtindo algumas coisas e não curtindo outras. Empobrece o mundo? Claro que empobrece. Mas em contrapartida, ganho mais saúde e disposição pra viver. E continuo com amigos. 🙂 Ônus e bônus, essa patacoada.

E uma dessas minhas opiniões (às vezes comuns, outras controversas, poucas erradas pra caralho mesmo) envolve a questão da aparência. Como todos sabem, eu sou crítico ferrenho da cultura da barba. E somente isso. Eu tenho meus motivos, e eu os exponho neste link. Mas há uma observação que queria fazer: NUNCA fui crítico ferrenho do corpo alheio. Crítico no sentido de criticar a ditadura do corpo perfeito e tal. Seria muita hipocrisia dizer que não acho bonito. Acho. Mas não me impede de pegar alguém barrigudo ou coisa parecida. Não me impede de VIVER, e isso é bem importante.

Mas vamos ao ponto principal pelo qual estou criando esse post. Como sou crítico ferrenho da barba (ironicamente, tô usando uma. Mas só tô usando por ter preguiça de fazer. Minha barba grande é ridicularizada em 80% das vezes), argumentei em uma conversa com um amigo que só trocar barba por barriga tanquinho que o sentido seria igualmente escroto.
Desculpa, mas não seria mesmo?

Segue-se a seguinte frase:

“Ai, adoraria esse homem de barba na minha cama…”

Trocando o termo “barba” por braço sarado, olha como fica:

“Ai, adoraria esse homem de braço sarado na minha cama”

ou por barriga trincada:

“Ai, adoraria esse homem de barriga trincada na minha cama”

ou por olhos azuis:

“Ai, adoraria esse homem de olhos azuis na minha cama”

Parece um argumento ridículo (e é!), mas as pessoas batalham tanto pela real beleza que acabam moldando parâmetros pra acharem uma barba bonita. Dizem: ah, tem de ser cheia, seu rosto tem de ser quadrado, só serve em modelo, não serve em você… E no final das contas, você, que criticava o culto doentio pelo corpo perfeito, acaba, OH THE IRONY, apelando pelo culto doentio pela barba perfeita.

Sinceramente? Preferiria o povo cultivando o corpo perfeito. Perdia pouco tempo em ser babaca.

E quanto ao corpo, decidi retomar meu regime e voltar a academia (alguém se lembra do WOWITT? Retomarei este Domingo. :D). E tenho postado meu êxito com a dieta e com a academia. Até apelei o nerdismo ao falar de Fitocracy. Alguns amigos disseram: CUSPINDO PRA CIMA? FAZENDO O QUE VOCÊ SEMPRE CRITICOU?

Primeiro: nunca critiquei o estilo #bornthiswhey (proj @ferrreira) que o povo tem adotado. Inclusive, acho ótimo. 😀

Segundo: meu sonho de ter um corpo magro e definido é coisa antiga. Desde meus tempos de guri, eu sofria bullying constante por causa do meu peso. Eu era gordinho quatro olhos que usava aparelho e muito retardado que ninguém andava na escola. Como vocês acham que eu me sentia? Sempre quis ser o mais sarado, o mais desejado da galera. Ralei muito pra ser uma pessoa melhor. Usei aparelho, aprendi a ter um senso melhor… Mas meu instinto de gordo sempre atacava. E não vou mentir que anda bem difícil de controlar, depois de tanto tempo agindo como gordo. Mas vai fazer um mês de dieta, e bom, emagreci uns seis quilos. Tô no começo, alguns amigos tão apoiando, tô achando ótimo. 😀

Terceiro, e o mais importante: infelizmente, você só é alguém na vida se você for: BONITO, SARADO OU RICO. Inteligência ou outros atributos maravilhosos das pessoas sempre ficam em último plano. Como me conformei no fato de que a aparência importa mais (e que não tenho tempo pra ficar me impondo sendo excludente, somado ao fato de que não sou de ser hipster na aparência), eu decidi fazer dieta e malhar. Claro, há a questão da saúde e autoestima. Mas ser uma pessoa com um corpo DOS SONHOS é algo que tem me movido. A meta é postar uma foto de cuequinha. SARADÍSSIMO. Mas vou conseguir pq tô batalhando pra isso. E isso vai servir em me dar mais gás a outras metas que tenho, como ter um emprego melhor.

Tá sendo legal cuidar melhor do meu corpo. Embarquei no projeto por motivos frívolos, mas temos de ter motivação pra QUALQUER COISA que você queira fazer na vida, né?

Enfim. Esse texto é pra simplesmente fazer o que eu gosto de fazer: esclarecer meus pontos de vista e dar alguma satisfação nas minhas opiniões. Não que você se importe. Ou que você ache relevante. Mas me vejo no direito de fazer isso.

Direito. Pq não tenho obrigação a fazer algo tão pessoal como ESCLARECER PRÓPRIAS OPINIÕES, sendo que nem pessoa pública ou influente eu sou. 🙂

 

20 fotos legais (mas amadoras, vai) que tirei no Rio de Janeiro. <3

Como prometido no Twitter, aí vai as 20 fotos. <333333

1)

 

 

 

2)

 

 

3)

 

 

4)

 

 

5)

 

 

6)

 

 

7)

 

 

8)

 

 

9)

 

 

10)

 

 

11)

 

 

12)

 

 

13)

 

 

14)

Suite Skyline 4

 

 

15)

 

16)

 

17)

 

18)

 

19)

 

20)

 

 

~~~BÔNUS~~~

21)

só os lindos no jantar de sábado. <33333

22)

VSF MAINHA GATÍSSIMA

23)

Bruno e Diego, dois amor <333333

24)

Foto tirada pelo menino @dcassus no Leblon. (e postada no Instagram) ❤

[x]

Fotos tiradas com o Samsung Galaxy Nexus/X, a 5 Mpx. Excetuando a de número 24, que foi tirada no iPhone do Daniel. 🙂

P.S.: queria tirar a foto do Rocco, o cachorro do Cássio, mas não deu. 😦 Mesma coisa com o povo da Gang do Eletro e de alguuumas coisinhas tbm. HIHI

 

 

Igor.

Nessas férias, eu simplesmente não sei o que faço. Já dizia alguém sábio de que a cabeça vazia é oficina do Diabo. Não consigo ter grandes ocupações, a não ser jogar/dormir/trabalhar/comer/sair. E só. E não consigo evoluir como pessoa (ainda que ache que um jogo como Gears of War me faça evoluir como pessoa, mas…)

A grande verdade é que não sei o que faço. E se sei, não tenho cabeça pra isso. Talvez muito se deve ao fato de não ter planejado devidamente para o que quero (e pretendo!) fazer.

Tenho um concurso pra estudar. Mas sem cabeça pra isso.
Tenho OAB. Mas sem cabeça pra isso.
Quero criar um post pro meu outro blog. Mas sem cabeça.
E quero ficar com um corpo maneiro. Mas sem cabeça.
E pós. E isso. E aquilo!

Minha cabeça tá simplesmente dizendo: ACORDE PRA VIDA, TU TEM DE SUBIR MUITO AINDA NA VIDA.

Mas minha cabeça anda numas de ficar em brancas nuvens que me parece a Lindsay. Fica toda zuada na buatchy, se encrenca, mas toma um banho de piscina e se pergunta: e agora? O que faço da minha vida?

(fiz 24 anos no dia 10 de Janeiro. Parabéns pra mim.)

 

555¹ da depressão.

Tem coisa pior que esperar por uma ligação, e ela nunca vir? Aquela sms confortadora (ou reconfortante) e ela nunca vem por algum motivo escuso ou desconhecido? Aquela ligação importante que você queria receber. Ou aquela ligação constrangedora denotando a tua falta. O celular acabou se tornando uma praga dos tempos modernos. Uma. Praga.

O advento do celular ajudou a aproximar pessoas, ao passo que ajuda a afastar. É aquela parábola do progresso caranguejo, como citou o Lucas, de acordo com um filósofo que não me lembro. E não basta aproximar/afastar. Ainda tem o fardo de amplificar ansiedades, expectativas como um todo. Todos aqueles males que a humanidade sofre desde os primórdios.

Claro que ele serve pra muita coisa. Pra jogar. Pra se comunicar. Pra twittar. Pra atualizar status de facebook. Pra dar checkin no foursquare. Até pra jogar Angry Birds. Mas a tormenta mestre começa na arte de você conhecer alguém, AQUELE alguém, e ficar cheio de expectativa. Você imagina: vou casar. Ter filhos. Vamos viver juntos e fazer um sexo maravilhoso depois de 7 filmes e meus pais vão adorar. Mas aí ele não manda mensagem. Ou nem liga. E você entra naquele tormento de achar que fez cagada quando, na verdade, nem foi isso.

Mas pior mesmo é ser dispensado numa foda por causa de carro.

– alô?

– hey, véi, blz? Vi seu número e decidi te ligar.

– hm… Como tu é?

– (descreve as características). Vem pra faculdade?

– talvez.

– tem carro?

– tenho. mas não tá comigo.

– ah, agora tenho que desligar pois minha namorada chegou.

– ah, é? e…

– ah, depois eu ligo.

 

Não sei se chegou mesmo. Mas foi um dos perdidos mais idiotas que já levei na vida.

Tô pensando em passar meu número pra algum dos meus desafetos. O que acham?

 

¹NOTA: 555 é o número de resgate no Japão. É o SAMU (192) de lá. Já foi inspirado em tokusatsus, a exemplo do GoGoV (que virou Power Rangers: Lightspeed Rescue) e Kamen Rider 555, cuja op ilustra o tema abordado aqui. O motivo se deve a fazer alusão do telefone salvar de tédio ou da solteirice infinita. Ou coisa parecida.

 

Enfrentando problemas de atenção e carinho. Novo notebook. TEDxPelourinho (+ 2 ITENS BÔNUS)

1) Enfrentando problemas de atenção e carinho => Se há uma coisa que eu não me suporto é o fato de eu querer atenção e carinho das pessoas que me rodeiam. Não só das pessoas que me rodeiam, mas de todo mundo. É uma coisa que meu inconsciente faz, mas que muitas vezes eu não percebo. A busca pela aprovação alheia, pelo amor instantâneo de todo mundo, a admiração… E a minha tristeza ao perceber que sou ignorado, ou coisa parecida. Eu não sei explicar essa parte da minha personalidade. Mas um dia eu ainda descubro o que seja. Talvez carência, ou coisa pior. riri

2) Novo notebook => Daí que, finalmente, comprei um notebook. Vai fazer uma semana, e já é meu xodó. E não bastam apenas o note. Comprei um roteador wifi (que serviu bastante) e uma mochila pra carregar o meu note (que é linda). É um Dell, com configurações estupendas… E preto. Sim, o troço é preto, e eu tenho uma certa cisma em artefatos tecnológicos pretos. Não me perguntem o pq. Mas foi paixão à primeira vista. Fiquei in love pelo bichinho, e essa é a verdade. ❤ (o mais difícil é transferir TODOS os arquivos do antigo computador pro meu note, mas isso é oooutra estória) Mas tô feliz. Até pq gadgets servem pra preencher uma coisa que não tenho: um relacionamento. XD

3) TEDxPelourinho => essa é nova. Surgiu logo depois da minha mãe ter impedido da gente (eu e minha irmã) sair. Entrei no twitter e vi o Lucas comentar sobre o TED que rolaria aqui perto, o TEDxPelourinho. (disclaimer: TED é um ciclo de palestras que abordam os mais diversos assuntos em várias cidades do mundo; várias edições já aconteceram no Brasil. TED é, basicamente, Technology, Entertainmen, Design. E o x no nome de cada cidade é um evento independente, desvinculado ao TED original, acho. Mais detalhes, aqui.) E dessa empolgação, veio a seguinte pergunta: onde vou me hospedar? Com qual grana eu vou comer? E a grana pra sair? E a passagem de ônibus? Tem essas indagações que a gente tem de fazer. E pior que tá MUITO em cima; vai ser em Setembro. Cata o desespero. D: Mas vamos lá… Quem souber de algum trabalho extra a fazer, me avisem.

Bônus 1) Twitcam => fiz duas twitcams essa semana. Queria que vocês comparecessem pra abordar algum assunto. Bom, eis os dois videos.

http://static.livestream.com/grid/LSPlayer.swf?hash=66v85

http://static.livestream.com/grid/LSPlayer.swf?hash=6890k

 

BÔNUS 2) Decepção do dia => minha mãe se revelando mais preconceituosa que muita gente por aí. Pior que não tem desculpa de não entender. Eu entendo um monte de coisa, pq ela não pode ceder a isso? Eu não vou perder meu tempo com isso. Continuo amando. Mas tá cada vez mais complicado de achar motivos para tal. É isso.

Sim, declarei amor aos meus pais, mas eles pisam na bola comigo de tal forma que eu repenso todo dia se vale a pena confiar neles. Boa Noite.

 

:) (smile and don’t cry on a club)

Este é você. Na balada. Curtindo e se divertindo à beça. Parece ser uma noite tranquila. Até normal. Mas de repente conhece uma pessoa. Já a conhecia. E você decide que é com ela que tu quer ficar. Te trata bem. Mas te ignora em relação ao prazer mundano. E você leva na boa.

Acontece que você não sabe como chegar. Achou bonita. Mas não sabe o que fazer. O perfume te excita, o físico… Mas ela tá de olho em outras pessoas. E você começa a se incomodar.

E ela fica com outras pessoas, e você começa a se frustrar. E começa a perceber que você é mais um, e não uma pessoa bacana. Mesmo as pessoas te elogiando você não se convence. Até porquê se você tivesse muitas virtudes, as pessoas perceberiam e tentariam se aproximar de você. E os amigos percebem. E tentam amenizar a situação.

E inacreditavelmente, você junta a pessoa desejada com outro alguém. E ficam. E você vai espairecer. Na verdade, você vai ficar sozinho. Não quer que ninguém se incomode com sua tristeza. E continua a bebericar. E começa a chorar por ter feito tanta besteira na vida.

É como que quando você bebesse, o seu senso fica mais apurado e a autocrítica fica mais pesada. É como se você fosse um 0. Nada mais que isso. E fica a cada minuto pior. Mas a noite não acabou, e vamos tentar se divertir.

E a multidão se diverte. Dá risadas. E você junto. Mesmo com a dor de não ter sido correspondido, você ainda continua vivo. E tenta mostrar ao mundo que a vida é uma pista de dança e, mesmo com lágrimas eminentes nos olhos, você sorri. E curte o momento.

E amanhece e acaba mais um dia de balada. Você não teve um momento mágico. Até se sentiu mal em relação a isso. Mas um sábado é um sábado. Um domingo é um domingo. Uma segunda é uma segunda. Cada dia é diferente, tendo de matar um leão por dia.

E saio com a sensação de estar faltando algo. Mas who cares? Foi apenas +1. Existem bilhões de pessoas, e foda-se se não se interessarem. Tem sempre alguém que quer compartilhar uma história com a gente. Ainda que seja por uma noite. Posso não estar feliz. Mas eu vou ficar bem. Sempre fico, pq vai ser agora que não vou ficar?

Igor M.