RSS

Arquivo da categoria: álcool

Igor.

Nessas férias, eu simplesmente não sei o que faço. Já dizia alguém sábio de que a cabeça vazia é oficina do Diabo. Não consigo ter grandes ocupações, a não ser jogar/dormir/trabalhar/comer/sair. E só. E não consigo evoluir como pessoa (ainda que ache que um jogo como Gears of War me faça evoluir como pessoa, mas…)

A grande verdade é que não sei o que faço. E se sei, não tenho cabeça pra isso. Talvez muito se deve ao fato de não ter planejado devidamente para o que quero (e pretendo!) fazer.

Tenho um concurso pra estudar. Mas sem cabeça pra isso.
Tenho OAB. Mas sem cabeça pra isso.
Quero criar um post pro meu outro blog. Mas sem cabeça.
E quero ficar com um corpo maneiro. Mas sem cabeça.
E pós. E isso. E aquilo!

Minha cabeça tá simplesmente dizendo: ACORDE PRA VIDA, TU TEM DE SUBIR MUITO AINDA NA VIDA.

Mas minha cabeça anda numas de ficar em brancas nuvens que me parece a Lindsay. Fica toda zuada na buatchy, se encrenca, mas toma um banho de piscina e se pergunta: e agora? O que faço da minha vida?

(fiz 24 anos no dia 10 de Janeiro. Parabéns pra mim.)

 

#IguinSPTour2011: o post definitivo!

Olá, gueis (e lésbicas, e héteros, e transex),

Depois de 10 dias fora de Aracaju, retornei. Com muitas coisas boas e lembranças, e fotos, e sensações muito boas. Acho que é hora de registrar aqui tudo o que achei de São Paulo. Primeiro que é uma cidade ENORME, com muitas opções a fazer. Mas muitas MESMO. Segundo que dá pra se virar sem precisar tano de táxi durante o dia. E terceiro que ó: se for pra ir a São Paulo e conhecer, que fique por mais dias. Pq vale a pena. Mas antes, alguns avisos:

Disclaimer 1) este texto vai ter cópia no A Gente Viaja. O Rodrigo Rocha (que é um amor) me propôs a escrever minhas aventuras em São Paulo. Aceitei, e o texto digitado a seguir irá para lá. No entanto, com algumas alterações. O texto já tá disponível no A Gente Viaja. 😀 Obrigado ao Rodrigo, de novo, por ter me procurado e ter postado esta aventura que vocês tão lendo. ❤

Disclaimer 2) demorei um tempo em como elaborar este post. Se como diário, se como enumeração de itens e comentar as coisas. Vou tentar contar como um mini diário, mas vão haver algumas partes que vou pontuá-las. Então lá vamos nós!

Disclaimer 3) as pessoas citadas fiz questão de citar pq… Achei que mereciam ser citadas? Elas ajudaram a abrilhantar mais a minha viagem, e elas merecem. A todas elas que me conheceram, deram um oi ou me serviram de companhia, o meu muito obrigado. Espero ter contribuído com amor. ❤

#IguinSPTour2011: o post definitivo! \o/

Não vou mentir pra vocês. Este era o momento mais esperado por mim deste ano. Desde Junho tava planejando essa viagem. Comprei os ingressos pra ver os Strokes no Planeta Terra, além do EGS (que fora cancelada pq seria MUITO humilhada pelo BGS. Até agora não recebi meu dinheiro, Alô Ingresso. KD?). Mesmo com o EGS cancelada, decidi deixar esses 10 dias em São Paulo por três motivos: 1) tava emocionalmente esgotado, e queria fugir da cidade; 2) o estresse do trabalho tava me consumindo; 3) queria ficar longe de casa que não sou besta. RSSSSSS. Ademais, tive a sorte de ter passagem e hospedagem pagas pelos meus pais (obrigado, pai e mãe, pelo custeio. vocês são uns amores. <3). Vamos a estas dicas principais antes de tudo:

1) BUSQUEM CONHECIMENTO. Ainda mais se for pra um território desconhecido. Por buscar conhecimento leia-se: conhecer gente do lugar onde você vai viajar, firmar contatos, saber quem vai pra quais lugares, acessar sites especializados, se vai fazer frio ou não… Tudo isso pra adequar a sua mala e se divertir melhor.

2) Um grande mal que cometi nessa viagem é que não consegui fazer um roteiro decente pra ver os lugares… Com isso, eu perdia um tempo útil passeando em shopping/centrão ou se perdendo em metrô. Logo, FAÇA UM ROTEIRO DO QUE QUER VER OU NÃO. Museus, teatros, locais públicos, ruas, avenidas, espetáculos. E claro, evite shoppings. Exceto o Iguatemi ou o Cidade Jardim, pra quem é a loka do consumo. RS

3) PONTUE O QUE VOCÊ VAI GASTAR. Controle na comida, no transporte, na consumação em alguma balada… Sempre anote o que você gastou pra ter uma ideia. Um dos meus grandes erros é que gastei dinheiro com coisa desnecessária. Se tiver de comprar, COMPRE. Mas se não, NÃO COMPRE. Um exemplo: comprei um cartucho pro meu DS, não tinha necessidade, e tive de trocar por traquitanas mais dispensáveis ainda.

4) JUNTE UMA BOA GRANA PRA NÃO PASSAR NECESSIDADE. Gastei fácil 5 mil em 10 dias de São Paulo. Juro. Isso com hospedagem, passagem, balada, comida, roupa, etc. Andar com o dinheiro no limite é bem perigoso. Corre o risco de faltar a grana… E aí?

5) VIGILÂNCIA CONSTANTE! Citando o bom e velho Olho Tonto Moody (Harry Potter, pros leigos), vale constar que São Paulo não é uma cidade como Aracaju. LOGO, certifique-se de estar sempre de olho nas suas coisas. Eu andava com minha bolsa grudada, com a carteira na frente, e meus dois celulares (sim, dois celulares, pq não achei um celular dual chip que eu amasse). Mas ainda assim: acho que tive MUITA sorte.

6) TRANPORTE PÚBLICO RULES (principalmente metrô). São Paulo tem uma malha metroviária interessante. Se eu fosse você, economizaria no táxi e andaria só de metrô ou ônibus. Pegue o mapa e, se sentir perdido, se informe.

Use o foursquare pra encontrar endereços e até mesmo fazer suas rotas (grato, Teo, pela dica). E quando for a um show, acerte com um taxista na volta pra eu não ter de procurar por um táxi por uma hora e ter de voltar de metrô cansadíssimo.

7) QUEM É GAY, favor utilizar este mapa, desta rede social. (NSFW; agradecimentos ao Cairo pela indicação desse fabuloso site. rs) Praticamente, tem os lugares must-see gays de São Paulo, e não a segui pq não me lembrei disso. HAHAHAHAHAHAHAHA

DITO ISSO, VAMOS LÁ!

Dia 1: Cheguei no hotel à tarde, na sexta-feira do dia 28 de Outubro. Me hospedei no Heritage Residence, que fica numa ótima região (é perto da Paulista, e na frente da Haddock Lôbo). Passaria 10 dias ali no hotel. Perto de lá, tem a Rua Augusta (PRECISO DIZER MAIS ALGUMA COISA?), andando um pouco mais tem a Rua Bela Cintra (que tem umas casas bem legais, como a Funhouse), e andando um pouco mais, a Frei Caneca. Fui atrás de meias no Shopping Center 3 com o Capeto, e dei uma passada no Starbucks, que tem lá. Uma dica? Iced Shaken e focaccia. ❤ À noite, dei uma passada no SMU Smoothie Bar, e experimentei uma caipirinha de lichia à base de saquê (bem ama/beija rapazes, vai??? RSRSRS). O local é excelente, a decoração é boa, e o pessoal é bem legal. Depois, participei de duas festas: a @bsurda, na Funhouse(encontrei com o Felipe, o Bruno e um amg dele e a Milena nesse tempo), e a que a Banda UÓ tava discotecando no Gloria. (me bati pela primeira vez com o Guto. Primeira de umas 4 ou 5, HAHAHAHAHAHA Além do Lukas)

(nota: Você tem facebook, certo? E é chamado pra alguns eventos bacanas em São Paulo? Uma dica: . Já conhece e mandam convites pra você? Melhor ainda: VÁ MESMO. Mas pra isso, é como te disse: faça amigos. Eles divulgam a festa pra você, e você comparece, e se diverte. ^^)

Uma observação sobre a Funhouse. A casa é MUITO pequena, e se quiser ir numa festa de lá, chegue CEDO. Fique um pouco, e faça escala em outro lugar. E quanto ao Gloria? PQP, é LINDO. A decoração é estilosa, fashionista total. Mas esteja afiado na moda. O povo de lá ama fazer um carão. Mas só beber um drink que tá tudo certo. RS

Shopping Center 3

SMU Smoothie Bar

Funhouse

Gloria

Heritage Residence

Dia 2: Sábado, 29 de Outubro, depois de uma noite ALUCICRAZY, decidi ir com o Capeto conhecer o Tubaína Bar. GENTE: é lindo demais. É uma arquitetura rústico chique que eles possuem… E vendem tubaínas e drinks feitos com elas. 😀 (por sinal, a dona prometeu um drink free pra mim, mas foi tão louco esses dias que nem fui apreciar. =/) Recomendo o estrogonofe de carne de sol da casa, e uma tubaína beeeeeem gelada. Tu volta ao passado. Lindo. Deu vontade de levar umas garrafas pra casa, mas eu acabei nem levando. =/

Depois, fui pra Paulista. Verdadeiro must see da cidade. Tem MUITA coisa lá, como a Livraria Cultura, a FNAC(achei miniaturas de Mario e Sonic <3) e shows ao ar livre no MASP, com os Twin Pines (filmei uma música deles, até. infelizmente, vou ficar devendo. =/).

(ficou até legal, né?)

Parte dos fundos; sempre rola alguma apresentação no lado externo.

Tinha a mostra de cinema de São Paulo (que parecia estar muito bom), mas achei afronta o line up custar 1 REAL, e acabei nem indo. À noite, comi uma bobagem na rua, e fui pro Dynamite Pub, pro aniversário do Rafz (e conheci o Clayton e o GuyFranco, RS). Pra quem gosta de karaoke e um programa barato, é uma EXCELENTE pedida. O pessoal é super simpático, e as bebidas nem são tão caras. Até os petiscos são legais. Logo depois, fui pra uma das noites mais esbanjadoras e loucas: tava lá eu na The Society, pra uma festa da Katylene, a VEM GEMTCHY. Digo logo: É. UMA. LOUCURA. HAHAHAHAHAHAHAHA Cheguei umas 3 da manhã, e só fui sair umas seis. Nesse meio tempo, encontrei com o Teo, e eles não cobram consumação (o que é bem comum em São Paulo. Paga pelo ingresso ou pela consumação). Gastei 139 reais nessa balada. E fiz amizade com os funcionários de lá. NÃO ME PERGUNTEM O PQ. Outra coisa: a The Society é uma mansão duca. Linda demais, e super organizada. E os copos de plástico não fazem feio. E o público lá é variado. Trust me. =) (nota: quem gostar da Katylene, e a segue, vale a pena ir nas festas dela. Eu gostei demais da Vem Gemtchy, e os drinks personalizados pra festa. HAHAHAHAHAHAHAHA)

Tubaína Bar

MASP

FNAC

Dynamite Pub

The Society

Dia 3: Domingo, dia 30 de Outubro. A Flávia me chamou pra feirinha na frente do parque Trianon, que vendia tudo quanto é comida… E não é que os preços tavam muito bons? Consegui comer bem na faixa de 20 reais. (Claro que comi pouco, mas comparado ao que você gasta em São Paulo, ACREDITE. ISSO É ÍNFIMO.) E não tem apenas comidas. Vendem artesanato, coisas de casa, plantinhas… Uma graça que você deveria prestigiar. ❤

Mas choveu. E não deu pra fazer muita coisa depois disso. =~~~ Em seguida, fui de novo aoThe Society, num frio tenebroso, encorajado pelo Teo e pelo Carlos. Eles foram embora cedo, e fiquei até a boate fechar. KKKKKKK. E some o fato de ter conhecido uma porrada de @ no Tuinter, também. (e conheci o Bruno. UM DOS HOMENS MAIS BONITOS QUE JÁ VI NA VIDA, se vocês querem saber. E uma graça de menino. E nem falo da história de um açougueiro lá. =~)

Dia 4: Segunda, dia 31 de Outubro. O Rafz e o Clayton marcaram comigo pra eu almoçar no Ponto Chic, pra comemorar o aniversário do Rafz. Ó, o tradicional bauru de lá é DOS DEUSES. Nunca comi algo tão gostoso na vida. É bom demais. <3<3<3<3

Já o Clayton ficou meio decepcionado; ele gostou, até. Mas o entendo. Ele é chef e é exigente. Tá certo. =) Depois disso, fiz companhia a ele (ia devolver um terno que pegou emprestado) e dei uma volta no Centrão. Mercado Financeiro, Rua 25 de Março, Edifício Banespa, Praça da Sé… (nota: Sempre bom passear no lado antigo da cidade. Fui de carro, mas uma sugestão? Faça boa parte dos trechos de metrô. É curioso perceber a mania que os paulistas têm, por exemplo, de sair correndo pra pegar os vagões. HAHA)

À noite, deu uma fome totalmente braba, e fui lá comer beirute na Panificadora do Frei. Recomendo de joelhos. E conheci dois senhores muito legais. É bárbaro lá. 😀

Ponto Chic

Panificadora do Frei

Dia 5: Terça, 01 de Novembro. Hoje é dia de metrô, bebê! Tirei o dia pra aprender. Acabou gerando algumas cenas mitológicas, como o fato de dizer AMÉM a uma pirada do metrô, e descer na Berrini pq… QUIS DESCER NA BERRINI. Ou que confundiu MORUMBI com IGUATEMI. KKKKKKKKKKKKKKKK Decidi exercer a futilidade, e fui no Shopping Iguatemi. Digo logo, que shopping bonito. Que shopping maravilhoso. ❤ Nunca vi tanta concentração de marcas de luxo no local NA VIDA (tem o Cidade Jardim, mas preferi deixar numa próxima. HAHAY). No entanto, é um shopping meio confuso, e você pode se perder facilmente.

À noite, fui no Tanta’s Bar, na região da Augusta, a convite do Xonas, e vi o Salles e meu xará. As opções na Rua Augusta (onde fica o bar) são várias. Uma das mais recentes é a Bofetada Bar, que parece ser bem legal. Depois disso, me encontrei por lá com o Dan Galego, que o conhecia a eras. ❤ Depois disso, fui pra Funhouse. Mas como tava super tarde e tava uma fila enorme, fui lá conhecer a Hot Hot. Olha, é uma casa promissora. É bonita, ajudou a reviver o centrão. É super colorida, com um ar meio kitsch. Não que você se interesse, mas vi o Serginho Orgastic por lá. Try for your luck, se tu ama subcelebs. Pq olha, só no carão. Mas tenho medo, não. Hunf! Não lembro da festa que rolou, mas o Boss in Drama tava tocando, e não vi muita gente conhecida lá…Depois, fui pra A Lôca e terminei minha noite lá. É um verdadeiro pilar da noite gay paulistana. Super louco, tocava umas músicas blast to the past. É um local divertidíssimo e desencanado. Se parece com uma caverna no interior.

Shopping Iguatemi

Tanta’s Bar

Bofetada Bar

Hot Hot

A Lôca

Dia 6: Quarta, dia 02 de Novembro. A Carol ficou de me mostrar alguns pontos turísticos de SP, e eu lutando contra o sono. E lá vamos nós! Fomos de metrô, e passeamos em alguns pontos importantes de São Paulo. Passamos pela Rua 25 de Março, um paraíso pra quem gosta de comprar. Passamos por dentro do Centrão, mas o Mercadão Municipal tava fechado. Aun. Mas nosso principal foco foi: 1) Museu da Língua Portuguesa. LIN-DO. Um jogo multimídia de experiências sensoriais, um trabalho muito bom. Parabéns aos enolvidos. É apaixonante. As crianças PIRAM. E a gente queria morar lá. Né, Carol? ❤ 2) Pinacoteca de São Paulo, que possuem boa parte do acervo nacional. O prédio é enorme, e você perde boas horas visitando o local. O café de lá é uma delícia também. Logo após, fui na Região da República, que tava rolando o Ocupa São Paulo e o Zombiewalk. Depois disso, fiquei enfurnado em dois edredons, pq São Paulo, na semana passada, tava um frio demais. Entre 10 e 15 graus, pra ser mais exato.

Museu da Língua Portuguesa

Pinacoteca de São Paulo

Dia 7: Quinta, dia 03 de Novembro. Aí foi bem tranquilo. Dormi meio tarde, e fui almoçar com o menino Rulho, matar as saudades. Almoçar na região da República pode guardar algumas boas surpresas. E uma delas é o Boteco do Padre. Almoço muito bom a um preço bem bacana. E o ambiente é super legal. Ele indicou também o Gato que Ri, que é um pouco mais caro, mas que tem ótima comida também. E fica na região da República, Sé e adjacências, se não me engano. Depois, tirei o dia pra comprar. Comprei agasalhos e uma camisa nova. E um novo relógio, já que tinha perdido o meu na balada (longa estória). E fui no Shopping Frei Caneca pela primeira vez. É simples, mas bem bacana, com lojas interessantes. (e o guardião do banheiro masculino procede RISOS) À noite, fui pruma balada rock no Vegas Club, me encontrar com a Polly. Local bem divertido, e lá dá tudo quanto é tipo de festa. Fica na Augusta, e dá uma passada sempre que puder. Depois, Hot Hot, e me bati com o Raphael com o tênis Jeremy Scott dele. hehe. =p Depois, passei na Bella Paulista. Me atrapalhei na hora de entrar no local, ENFIM. Sabe o que acho? Todas as delicatessens deveriam funcionar 24 horas por dia. (tem gente que quer comer alguma coisa, mas não pode pq tá fechado. =~) o sanduíche (não lembro o nome, mas possui diversas opções) de lá não é ruim, mas já comi melhores. E o serviço é caro pelo que oferece.

Boteco do Padre

Shopping Frei Caneca

Vegas

Bella Paulista

Dia 8: Sexta, 04 de Novembro. Acordei extremamente tarde. Logo, nem tinha muito o que fazer, e fui dar uma volta por aí. Almocei uma bobagem no Frei Caneca, e fui me encontrar com Bifs por alguns instantes noStarbucks. Depois, o Pedro me chamou pra uma festa na USP. Outra dica maneira. Se tu tem menos de 30 anos, e ainda tá na vida acadêmica, PARTICIPE DE ALGUMA FESTA DA USP. HAHAHAHAHAHAHA Sério! (agradecimentos ao Rafa e ao Felipe pela dica, rs) De início, tu acha ruim a festa, mas depois de um tempo, acha uma maravilha. Foi tão boa, que em certo ponto, desencanei de ir embora, e decidi ficar. Além de que, eu tive uma surpresa inesperada e eu não vou contar. Mas só lembrando: festa da USP no campus de Arquitetura e Urbanismo (FAU), hein?

Starbucks

USP – FAU

Dia 9: Sábado, 05 de Novembro. PLANETA TERRA. YEEEEEEESSSSSSS Cheguei cedo no festival, umas 4:30 da Tarde já tava lá (antes, almocei com o Tchê numa casa japonesa na Augusta, não lembro agora). E nem precisei pegar um táxi pra chegar ao evento: metrô + transporte cedido pelo festival = WINNING. \o/ E o festival foi muito bom: Criolo e The Name me surpreenderam, Garotas Suecas com o Jacaré MITANDO demais, brinquedos, shows corretos do Interpol e White Lies, show muito agradável com Toro y Moi, me descabelei com Goldfrapp e a atração principal da noite: The Strokes. FOI DO CARALHO. Cantou minhas músicas. Posso dizer sem delongas que foi um dos melhores shows da minha vida. Sabe o que é passar 10 anos ouvindo músicas dos caras? Só de lembrar bate uma saudade grande… E ó, o Planeta Terra deveria ser referência pra organização de shows. Pq nunca vi algo tão bem organizado. ❤ E tinha a Squat Party, mas graças aos taxistas infames, não consegui assistir o show da Gretchen que tava rolando no Estúdio Emme. =( E NEM DIGAM QUE FOI O MÁXIMO PRA EU NÃO PEGAR RAIVA DE VOCÊ. =) [nota: se tiver uma squatparty rolando na cidade, vá. Diversão na certa.] Então, ó. Fica a dica pra você. Quer voltar no conforto de sua casa? Marque com um taxista que você tenha conhecido pra te pegar e levar no conforto do lugar onde esteja hospedado. Abrevia muita coisa. Inclusive xingamentos. 😉

Planeta Terra 2011 (Playcenter)

Estúdio Emme

Dia 10: Domingo, 06 de Novembro. Depois de um dia daqueles de não esquecer, hora da coisa mais sossegada. Fui me encontrar com menino Gardini e a Ju pra gente ficar falando besteira. Tudo isso, na Liberdade. E Domingo lá, pqp. QUE MÁGICO. Tem muita coisa legal na Praça da Liberdade. Mas meu negócio era a gordice. Comi Yakimeshi com kare (uma espécie de bobó feito no curry, mais ou menos) e TAKOYAKI. Sério, são duas comidas japonesas quentes muito gostosas. Pra quem quer conhecer a cultura oriental de forma mais aprofundada, recomendo uma visita lá. Também recomendo que você chegue de barriga vazia e cedo. (a feirinha fica aberta até as sete. cheguei às quatro.) Depois de passear um pouco pela Liberdade (um bairro encantador, mas beeeeem sujo =~), fui pegar o Rafz e o Leo, e fomos pra Dona Teresa, que fica na frente do meu apartamento. O lugar é super aconchegante, e as batatas rústicas de lá são uma delìcia. (e nesse dia me toquei que o Guy Franco é o Guy Franco. HAHAHAHAHAHAHAHA longa estória)

Praça da Liberdade

Dona Teresa

Dia 11: Segunda, 07 de Novembro. Arrumei minha mala nas pressas por causa do check out no limite, que era pra ser feito a 1 da tarde. Um detalhe: o avião era para às cinco pras seis, e eu pensando que o vô era a uma da tarde. Como tinha um tempo de sobra, aproveitei pra fazer certas coisas que AINDA não tinha feito. Fui pro Mercado Municipal, por exemplo. Nunca vi algo tão arrumado e arejado em toda a minha vida. A locomoção foi muito fácil, os vendedores são simpáticos, e ainda tive sorte de comprar umas bugigangas pro pessoal de casa. ❤ E, claro. Não saí de lá sem comer sanduíche de mortadela e o tradicional pastel que, por sinl, comi no tradicionalíssimo Hocca Bar. E ó, não é mortadela qualquer. É Cerati, tsá? HIHI. Depois disso tudo, fui pegar meu vôo de volta a Aracaju.

Mercado Municipal de São Paulo

Hocca Bar

Sério. O que dizer desses dias? Os melhores do ano. Uma viagem que sempre esperei. Uma viagem que, apesar dos pesares (paulistas, favor melhorar na simpatia!), fiz amigos incríveis que quero levar pra vida. E resumo esse post enorme com uma frase que, por sinal, postei no Twitter:

“Ida: uma mala e uma bolsa. Volta: uma mala, uma bolsa, uma ecobag, uma aventura, uma paixão de primavera e novos amigos feitos. :,)”

Isso resume tudo.

[ah, as fotos você encontra no meu facebook ou no meu Flickr.]

 

:) (smile and don’t cry on a club)

Este é você. Na balada. Curtindo e se divertindo à beça. Parece ser uma noite tranquila. Até normal. Mas de repente conhece uma pessoa. Já a conhecia. E você decide que é com ela que tu quer ficar. Te trata bem. Mas te ignora em relação ao prazer mundano. E você leva na boa.

Acontece que você não sabe como chegar. Achou bonita. Mas não sabe o que fazer. O perfume te excita, o físico… Mas ela tá de olho em outras pessoas. E você começa a se incomodar.

E ela fica com outras pessoas, e você começa a se frustrar. E começa a perceber que você é mais um, e não uma pessoa bacana. Mesmo as pessoas te elogiando você não se convence. Até porquê se você tivesse muitas virtudes, as pessoas perceberiam e tentariam se aproximar de você. E os amigos percebem. E tentam amenizar a situação.

E inacreditavelmente, você junta a pessoa desejada com outro alguém. E ficam. E você vai espairecer. Na verdade, você vai ficar sozinho. Não quer que ninguém se incomode com sua tristeza. E continua a bebericar. E começa a chorar por ter feito tanta besteira na vida.

É como que quando você bebesse, o seu senso fica mais apurado e a autocrítica fica mais pesada. É como se você fosse um 0. Nada mais que isso. E fica a cada minuto pior. Mas a noite não acabou, e vamos tentar se divertir.

E a multidão se diverte. Dá risadas. E você junto. Mesmo com a dor de não ter sido correspondido, você ainda continua vivo. E tenta mostrar ao mundo que a vida é uma pista de dança e, mesmo com lágrimas eminentes nos olhos, você sorri. E curte o momento.

E amanhece e acaba mais um dia de balada. Você não teve um momento mágico. Até se sentiu mal em relação a isso. Mas um sábado é um sábado. Um domingo é um domingo. Uma segunda é uma segunda. Cada dia é diferente, tendo de matar um leão por dia.

E saio com a sensação de estar faltando algo. Mas who cares? Foi apenas +1. Existem bilhões de pessoas, e foda-se se não se interessarem. Tem sempre alguém que quer compartilhar uma história com a gente. Ainda que seja por uma noite. Posso não estar feliz. Mas eu vou ficar bem. Sempre fico, pq vai ser agora que não vou ficar?

Igor M.

 

Sobre bebidas, caronas e baladas.

Tá decidido. Não vou mais a nenhuma balada neste semestre. Os motivos são diversos. Eu tenho uma monografia para acabar, tive de levar bronca do meu pai duas vezes só na semana que passou, minha mãe passando O DIA TODO buzinando no meu ouvido. VOCÊS PENSAM QUE É FÁCIL? Pra dar um fim a todo esse pandemônio, decidi dar um fim nas farras, ao menos por enquanto. E tentar focar na minha vida. Pelo menos sozinho. Agora vem os motivos que me fizeram tomar esta decisão:

a) eu: Tenho saído mais com meus amigos que com outros. Nunca mais os vi, nem tenho notícia. =/ Outra: meus pais. Toda semana me veem sair e ficam me dando bronca pq fiz isso ou aquilo. (meu pai conversou comigo como se eu tivesse dormido com alguém sem camisinha e virado um alcoolatra sem escrúpulos e nem caráter -Q) E eu simplesmente enjoei de coisas que aconteciam quando eu saía. Sem levar em conta que pretendo me afastar das bebidas quando eu for pra farra.

b) caronas: SÉRIO. Tem me deixado puto essa questão de carona. Senti saudade na sexta quando saí, me lembrando que saía pras baladas de ônibus (ou táxi), e voltada idem, com horário bonitinho, sem dar satisfação ou sem depender de ngm. Parece que, hoje em dia, não rola mais. Me sinto O MOTORISTA DA BALADA. Mas vale ressaltar que há caronas e CARONAS. Tem gente que é maravilhosa quando se dá carona. É super comportado. Obedece a ordem de ir, voltar, tudo bonitinho, tudo certinho. Eu me orgulho de gente assim, e é o que vou levar sempre pros lugares. Meu outro problema é com OUTRO TIPO DE CARONA. Aquele tipo que não vai no horário que você quer, faz birra, te atrasa na hora de ir embora, ainda pede pra levar um pessoal extra e me provoca um alto grau de stress. É como se você fosse o motorista deles. Sem levar que eles contribuem pra levar bronca em casa, coisa QUE ODEIO. Não levo mais. Honestamente. Cansei. Falei até a um amigo meu sobre isso. Só dou carona se eu quiser. Não vou mais ficar levando e trazendo fulano que me traz raiva. E se eu não tiver minha carona, eu dou meu jeito. Volto de ônibus, ué. Eu sou independente, no meu jeito. 😉

c) bebidas: preciso ficar longe duns bons drink por tempo determinado. Até pq temos o fígado para cuidar, e a reputação idem. Mas aí que tá. Se eu me afastar, vou ficar meio irritado com as mesmas pessoas e não vou ter história pra contar. Mas se beber, eu fico com a reputação meio manchada, vem a ressaca moral, mas terei me divertido. O que fazer? Mas não importa, pelo menos agora. Acho que o principal motivo d’eu ter enjoado de tudo isso são…

Volto no forró pra amar vocês, meus miguinho de balada. Enquanto isso, me curtam no facebook ou me sigam no Twitter. Tchau! 🙂

 

A fonte de inspiração deste blog.

Muita gente se pergunta o pq do nome ser me odeia deita na BR. Simples.

1) Exercício de autoafirmação.

2) Autoafirmação implica em biscatice, e biscatice no Twitter lembra? ISSO, THAYANNI RAFAELLI E O TIPOS DE BISCAT!!!

3) E como toda boa bisca, ela se inspira nas letras motivacionais do Aviões do Forró. SÉRIO. QUE BANDA #WINNING. ❤

Sem mais para o momento, bom dia. 🙂

 

>Momento guilty pleasure de hoje.

>

Acho que todo mundo que vive nessa Internet conhece o DJ Cremoso, famoso por fazer remixes que tenham um ar do Belém do Pará. Ou melhor, do tecnobrega. UMA DILISSIA, CERTO?
E muitos conhecem MARAVILHAS como Human (CRÁSSICO), Pokerface (uma dilissia²) e Idiotecnobregaque (que ouvi durante dois dias, no repeat. JURO).
Dado este fato, o maior sonho deste blog é entrevistá-lo. Mas como ele tá muito hype, e este blog ainda não saiu do ostracismo, olha… Tá difícil.
Mas vamos aos finalmentes. Detesto Ke$ha, e Animal é uma das BOSTAS de 2010. Salvando TiK ToK, num tem uma que se salve. Mas o remix desta música ficou BABADEIRA. Bota pra tocar na tua festinha no fds que vem, certo? Um beijo. E sensualize com o Belém do Pará.
Pra mais bayonettagens (beijos, @goiaboo), clica aqui.
 

>X, the post – parte 2.

>

 

(pra quem não entendeu a parte 1, aqui)

NOTA: este post era pro blog do João Pedro, o comofis/, mas achei útil compartilhar com vocês, minhas amigas, e aprender a fazer a ORIGAMI FACE. Sobretudo pro exu dos seus ex. beijos.

Então, vamos ao relato de como encontrei um dos meus ex-namorad…namoros? =P

 

Ontem, lá tava eu, muito filiz, passeando e vendo coisa bonita no meu shopping quando, de repente, eu me deparo, sabe com quem? AHAN. COM MEU EX.

O RLY TÁ BOAZINHA, TÁ?

 

E aí, eu fiz uma cara dji sympátchyca pq eu sou assim. Não guardo rancor de ex, sei que é ex, não vai rolar mais, e BLABLABLABLABLABLAZZZZZZZZZZ

Tá certo. Encontro o ser e ele diz:

 

– Olha, quanto tempo, como vai o intestino você? Nunca mais me ligou…

 

Aí eu tava com meu deck do YuGiOh pra casos práticos (um dia divido com vocês), procurei, procurei, procurei, até achar esta carta aqui:

 

Magic_fieeeerce

 

Quer dizer, fiquei um DOCE [/ironia] de pessoa com ele. Falei que tava trabalhando, e etc e tal. Daí que ele (levando-se em conta que é MEU EX e é LOUCO POR MIM) me vem e fala, quando fui fazer a LOUCURA de dar o número pra ele:

 

– Qual o seu nome mesmo que esqueci?

– Mas cara, tu não sabe  O MEU NOME? Cê num tava dizendo que tava louco por mim?

– Mas acontece, né.

AHAN, CLÁUDIA.

– Mas diga logo teu nome, que esqueci.

– …Igor. ué. ¬¬’

– Deixa de ser bruto. Mas DUVIDO que você não se lembre do meu sobrenome.

– Ah, é… Esqueci.

– É SICRANO (não vou dizer o nome dele, TÁ LOKO?)

– ERHM. Mas é SEGUNDO NOME.

 

*BOOOOOOOM* na face dele que ele não sabia NEM o que era SOBRENOME e muito menos o SEGUNDO NOME. O pior é que ele começou a falar que tava com saudade de mim, de como era bom nossos momentos juntos (e eu fazendo AQUELA cara da Tyra Banks. ou da Iman, não lembro). Acho que a carta fierce tava dando treco, e pra dar uma dificultada no jogo,

 

Magic_De tantas loucuuuuras

Pq SÓ UMA PESSOA ALCOOLIZADA queria alguma coisa com um ex que queria enlouquecidamente voltar a namorar com você ao som de? REBOLATION. Ou seja. O pior nem é isso. O pior é que quer relembrar de como tinha alguém pra fuder (pq nem namorar direito namorava, e só sabia viajar), e quer fazer tudo isso dentro de… UM CARRO. E COM CALOR DOS INFERNO. TÁ, NÉ.

E pra dar um finish logo, decidi apelar pra carta mais fodona que já criaram. ESTA AQUI:

 

Ritual_ORIGAMI FACE

Nada como fazer paisagem pra tudo. Como o fato de querer de qualquer jeito a sua pessoa, ou querer fazer coisa errada, ou casar com você de véu e grinalda… Nada como acionar esta carta e fazer paisagem. PRA TUDO.

 

Sim. Fiz o serviço com o ex, me arrumei, usei minha ORIGAMI FACE e desci em casa linda e europeia.

Lógico, nasci pra ficar arreganhada? Não fico assim pra ex, IMAGINE PRA…

 

PS: Mas Igor, poderia ter evitado, e etc. etc. etc. FOI MAIS FORTE QUE EU, TSÁ. E eu tava meio necessitado e carente, relevem. Mas usei a carta fierce, e é isso que importa. -q