RSS

Arquivo mensal: março 2012

Vimeo test.

Depois de oitenta anos, fiz um perfil no Vimeo. Com ele, eu pretendo postar algumas filmagens em HD na época que eu tava em São Paulo, no mês de Novembro. Pra estrear, postei uma performance de uma banda brasileira chamada Garotas Suecas, tocando no Planeta Terra. E adivinha quem tava lá para prestigiar/dançar uma música que eles vão tocar no vídeo? Taca o play! 😀

#iguinSPTour2011: Planeta Terra! Garotas Suecas – Banho de bucha from Igor Maia on Vimeo.

(so 2011, mas foi lindo demais aquela hora. <3)

Anúncios
 

Barbacracia. (ou: a opressão da sociedade em querer que os homens usem barba no dia-a-dia)

Image

(Wayne Coyne, vocalista dos Flaming Lips, e barbudo.)

Tudo começou com um sábado ensolarado, um dia bonito e radiante. Eu, disposto a estudar cedo, decidi ir pra faculdade. Antes de começar, dei de lance com a seguinte matéria:

Homens com barba são menos atraentes, diz estudo

E o que aconteceu? Um inferno. Tá, eu exagerei. Mas começaram a discutir pautas que envolvem barba. Mas sabe o que mais vi? Muitos homens (gays) dizendo que preferem barba. Algumas mulheres também. Tudo bem que trata-se de um povo com culturas diferentes, mas é algo a se registrar.

Tem-se percebido de que as pessoas tem ~~~exigido~~~ (sim, exigido. pois sinto que há uma ditadura da barba aí. E é algo que vem bem forte) que os homens venham com barba. Praticamente virou um caso sério a ser estudado. Tem tumblr sobre isso. (eu até participei de um dia sobre homens barbados. olha o meu projeto de barba?)

E o que virou brincadeira, ou até mesmo forma de opção, virou pura e simples obrigação de ter barba. TODO MUNDO QUER UM BARBUDO. Talvez reflexo da flexibilização da masculinidade, no qual os homens podem se tornar metrossexuais, e o advento de fatores mais ousados ao estilo masculino contribuísse muito pra isso. E o pipocamento dos meninos-com-cara-de-menina-e-magrelos, contrapondo a virilidade masculina, e com isto, a barba seria um símbolo da retomada de uma virilidade que, ledo engano, foi perdida. Mas não importa. O problema é sério. E afeta as pessoas com barba terrível. Ou que não tem barba. Eu tô incluso no primeiro grupo.

Se você fizer uma enquete que tipo de homem você curte, certamente algumas pessoas responderão:

– curto nerd e barbudo
– curto mauricinho e barbudo
– curto cozinheiro e barbudo
– curto cara nscido em boa família e barbudo
– curto urso e barbudo
– curto eunuco e barbudo

ENTENDERAM O PROBLEMA?

Um pessoal que sempre rechaçou a segregação e preconceito, agora impõe que barbudos são mais interessantes. Uma coisa é usar barba porquê você gosta, ou porquê adora sentir, sei lá. Outra é uma horda de gente que diz que barbudos são melhores.

Este post é cheio das mágoas, e vos explico o pq.

[X]

Eu, com o intuito de agregar mais pessoinhas ao meu coração, decidi cultivar a minha barba. Tava crescendo, tava num volume bom. Enfim, tava daora. Eu comecei a sustentar minha barba todo orgulhoso, como se eu fosse um guri de 17 anos que decidiu desenvolver os hormônios agora e, pra achar que é maduro, decide criar barba. Dito e feito.

Alguns dias depois, o maldito projeto de barba começou a me dar problema. O pelo do bigode me incomodava. O da barba coçava. Enfim, me deu umas agonias que só Jesus na causa. E a quantidade de gente que peguei? ZERO.

Mas eu, otimista retardado (pq otimista razoável faria um trato no cabelo e barba, pensando no melhor), decidi manter a bendita barba. E começaram os elogios. Só que ao contrário.

– Igor, virou mendigo?

– Igor, brigou com o barbeiro?

– Igor, vai fazer quando a barba?

AÍ QUER DIZER. Pro Gabriel Braga Nunes não dizem isso, e pra mim, vem essa macacada. Eu desencanei? NÃO. Vou ver se mantenho a barba pra ver se cativo alguém. ZERO. (e ainda levei fora)

E veio a viagem a Praia do Forte, e recebi um ultimato. Decidi raspar tudo. Cabelo e barba. Chega. Tava coçando, tava calor, tava quente. (oi, molier filé)

Acontece que eu tava ocupado nesse dia, e só fui cortar cabelo às 9:30 da noite. Ou seja, todos os salões da cidade estavam FECHADOS.

Como única opção, tive de pagar 63 REAIS pra cortar o cabelo, e fazer a barba. Não a faço em casa pois os malditos gilletes não sabem cortar o tipo de barba que tenho.

Quando fizeram, começou a pipocar alguns problemas. Mas digo a vocês que saí com o rosto fatiado (MENTIRINHAAAAAAA) e cheio de cravos, como produto da imposição de vocês.

Resultado: vou fazer a barba agora, assim que puder. E aliás, vou até fazer. Ela tá charmosinha, mas peguei trauma de cultivar barba.

Na verdade, a grande questão é que vocês gostam de gente bonita de barba. E não da barba em si.

E ainda tô chatiada com essa macacada. Sinceramente.

[X]

– Quem gostou do assunto, postei sobre neste link no meu facebook. Vai lá e dá um pitaco. ;*

– Este post é cheio das mágoa e dos recalque. Mas relaxa. Tô mandando as contas pro responsável disso. (a/c Universo)

– Aliás, ninguém paga as mias conta, né?