RSS

Arquivo mensal: maio 2011

Quando seus finais-de-semana te trazem raiva. Muita raiva.

Ultimamente meus finais de semana têm se baseado no seguinte:

1) ficar em casa.
2) as merdas acontecem, mas eu NADA tenho a ver com isso.
3) levo a maior parte das broncas, mesmo me justificando.

E isso tem havido numa constância de uns tempos pra cá. Sobretudo nesse mês. Meu carro teve uma batida, sendo que EU TAVA EM CASA. E levei bronca, ainda por cima. O seguro venceu. Mas não houve aviso, nem tava sabendo disso. O motorista tava bêbado, e disso eu tenho certeza. E eu, que tava em casa e perdi a madrugada, tive de ouvir reclamação da minha mãe O DIA TODO.

E veio hoje. Depois de uma semana terrível, no qual envolvia em desistência da monografia, nós do trabalho e sobrevivência sem carro e dependendo de ônibus e táxi. (nesse meio tempo, baixei Panty e Stocking que é ótimo; via no ônibus pra passar o tempo. Em tempo: o clipe é ótimo e está no episódio 10 do anime.)

Voltando… Meu pai havia liberado o uso do carro, já que ele viajou. Quando fui usá-lo neste sábado, ao chegar em casa…

– OH!

Fui verificar o que havia acontecido. Não tinha nada no espelho retrovisor. O sensor de estacionamento não havia apitado. Tava com as janelas fechadas. Ouvi o baque e fui ver no que se tratava. Uma moça. Enfim. Ela tava puta pq eu havia dado a ré. Minha mãe inventou de se meter e… Daí que fudeu, né?

O que foi acertado: pagaremos o prejuízo, mesmo me esgoelando dizendo que não fui eu. Nem paguei pq eu estava errado. Vou pagar pq não quero provocar confusão. Mas a pior parte nem é essa. A pior parte foi: eu tentando botar na cabeça da minha mãe que eu não tava errado. Mas ela: Igor, você tem de ter mais cuidado. Igor, já pensou se ela tivesse morrido? Igor, blablablabla heerrrp deeerrrrp?

VAMOS AOS FATOS?

1) Ela NÃO morreu.

2) O máximo que teve foi a moto, que ficou meio danificada. E só. O carro só teve uns arranhões.

3) Vou arcar parte do prejuízo.

Logo, 4 GOD’S SAKE, PQ MINHA MÃE AINDA APITA NO MEU OUVIDO JÁ QUE TUDO TÁ RESOLVIDO?

Sério. Parece que dei um roundhouse kick na cruz e tô pagando os pecados.

E esses dias tão um karma. Putaquepariu. Que vibe.

E o pior nem é isso. O pior é que você é desacreditado. Sua mãe não acredita em você. Sua irmã também não. E todos acham que é irresponsabilidade minha. Ando cheio em morar numa casa que ninguém dá um pingo de credibilidade pra mim. Mal posso esperar pra arranjar um emprego melhor e viver a minha vida, sem depender de ninguém.

E do jeito que anda esse caralho, acho que nem viajar pra São Paulo eu vou mais. =S

Maldição! >=(

 
Deixe um comentário

Publicado por em 22 de maio de 2011 em Uncategorized

 

Sobre bebidas, caronas e baladas.

Tá decidido. Não vou mais a nenhuma balada neste semestre. Os motivos são diversos. Eu tenho uma monografia para acabar, tive de levar bronca do meu pai duas vezes só na semana que passou, minha mãe passando O DIA TODO buzinando no meu ouvido. VOCÊS PENSAM QUE É FÁCIL? Pra dar um fim a todo esse pandemônio, decidi dar um fim nas farras, ao menos por enquanto. E tentar focar na minha vida. Pelo menos sozinho. Agora vem os motivos que me fizeram tomar esta decisão:

a) eu: Tenho saído mais com meus amigos que com outros. Nunca mais os vi, nem tenho notícia. =/ Outra: meus pais. Toda semana me veem sair e ficam me dando bronca pq fiz isso ou aquilo. (meu pai conversou comigo como se eu tivesse dormido com alguém sem camisinha e virado um alcoolatra sem escrúpulos e nem caráter -Q) E eu simplesmente enjoei de coisas que aconteciam quando eu saía. Sem levar em conta que pretendo me afastar das bebidas quando eu for pra farra.

b) caronas: SÉRIO. Tem me deixado puto essa questão de carona. Senti saudade na sexta quando saí, me lembrando que saía pras baladas de ônibus (ou táxi), e voltada idem, com horário bonitinho, sem dar satisfação ou sem depender de ngm. Parece que, hoje em dia, não rola mais. Me sinto O MOTORISTA DA BALADA. Mas vale ressaltar que há caronas e CARONAS. Tem gente que é maravilhosa quando se dá carona. É super comportado. Obedece a ordem de ir, voltar, tudo bonitinho, tudo certinho. Eu me orgulho de gente assim, e é o que vou levar sempre pros lugares. Meu outro problema é com OUTRO TIPO DE CARONA. Aquele tipo que não vai no horário que você quer, faz birra, te atrasa na hora de ir embora, ainda pede pra levar um pessoal extra e me provoca um alto grau de stress. É como se você fosse o motorista deles. Sem levar que eles contribuem pra levar bronca em casa, coisa QUE ODEIO. Não levo mais. Honestamente. Cansei. Falei até a um amigo meu sobre isso. Só dou carona se eu quiser. Não vou mais ficar levando e trazendo fulano que me traz raiva. E se eu não tiver minha carona, eu dou meu jeito. Volto de ônibus, ué. Eu sou independente, no meu jeito. 😉

c) bebidas: preciso ficar longe duns bons drink por tempo determinado. Até pq temos o fígado para cuidar, e a reputação idem. Mas aí que tá. Se eu me afastar, vou ficar meio irritado com as mesmas pessoas e não vou ter história pra contar. Mas se beber, eu fico com a reputação meio manchada, vem a ressaca moral, mas terei me divertido. O que fazer? Mas não importa, pelo menos agora. Acho que o principal motivo d’eu ter enjoado de tudo isso são…

Volto no forró pra amar vocês, meus miguinho de balada. Enquanto isso, me curtam no facebook ou me sigam no Twitter. Tchau! 🙂

 

A fonte de inspiração deste blog.

Muita gente se pergunta o pq do nome ser me odeia deita na BR. Simples.

1) Exercício de autoafirmação.

2) Autoafirmação implica em biscatice, e biscatice no Twitter lembra? ISSO, THAYANNI RAFAELLI E O TIPOS DE BISCAT!!!

3) E como toda boa bisca, ela se inspira nas letras motivacionais do Aviões do Forró. SÉRIO. QUE BANDA #WINNING. ❤

Sem mais para o momento, bom dia. 🙂

 

União Gay e Fins de relacionamento.

Alô fãs da biscatage e bayonettage, e alguns fãs de blogs como o #tefodemuleque ou a #sortedehoje: TÔ NO WORDPRESS AGORA. EEEEEEEEEEEH

O motivo se deve porque eu simplesmente enjoei do Blogspot e meus oito blogs hospedados (o #wowitt, que fala da minha luta pela perda de peso, ainda continua a todo vapor), e também pq eu tava cogitando em criar um espaço para expressar as minhas ideias. Pq Twitter é bom, dinâmico, mas para textos densos, não é lá MUITO LEGAL. Daí vou ver se escrevo algumas coisas legais, e o melhor: vou ver se importo os melhores posts dos meus 92384784575845 blogs.

Pronto. Eu prefiro que me apresente no final do post. Queria jogar umas ideias a vocês hoje. Topam? (se não, por favor, fechem o navegador e voltem outro dia. não tô aqui pra fazer média.)

1) União Estável Gay. E daì que hoje começou o momento histórico da História Judiciária Brasileira, com o julgamento, pelo STF, das ADPF nº 132 e da #ADI nº 4277, que podem homologar a união civil no Brasil. É um avanço, que os radicais e religiosos (não são a mesma coisa, flw) querem fazer de tudo pra barrar. A fins de comparação, um casal de homossexuais, em uma união estável, têm 112 direitos negados, em relação a uma união estável de heterossexuais. O Ayres Britto, um dos ministros do STF e é da minha terrinha (Aracaju), fez uma tese muito foda, e queria que vcs lessem neste singelo link.

O que as pessoas não entendem é que união civil, casamento… Poxa, as pessoas têm o direito de constituir família. O próprio Ayres disse que família não é aquela que é formada por pai e mãe. é aquela que tem irmãos, primos, casais gays… Quando há afeto num núcleo, então pode haver família. E o reconhecimento da união estável de homossexuais pelo STF é um importante passo pra abranger esse conceito.

Agora, não me irrita nem isso. É o mundo gay que tenho visto e que tem causado certo desapontamento.

Salvo algumas exceções (e nobres, por sinal), parece que todo mundo caga pra isso. Seja pq não quer casar, seja pq tem dinheiro e pode casar em Buenos Aires com o boy… Brasileiro é um ser politicamente apático por natureza, é fato. O problema é que vi muita gente boa (e gay) IGNORANDO um avanço importantíssimo. Tem noção?

[nota: Por mais que o Ayres Britto tenha feito um voto SENSACIONAL, ainda não podemos contrair união estável. Ou seja, temos 112 direitos a menos que um heterossexual. Você acha isso JUSTO? Você nascer com o fato de gostar de alguém do mesmo sexo, paga os mesmos impostos que os héteros, fazem as mesmas coisas que os héteros, e não poder doar sangue ou ter conta conjunta de banco pq NÃO PODE SE CASAR?]

É um direito seu não querer saber disso, mas ignorar demonstra apatia, caralho! Não se manifestar, ficar omisso pq tem medo que seja interpretado errado é muito feio. Tudo bem que você tem seu pink money, e nego faz semanas gays pra atrair gente que consome muito, mas nem todo mundo tem muito dinheiro. O mundo não é um Queer as Folk, ou um Glee. O mundo real é mais duro. Tem gente que apanha todo dia, gente que vive com um companheiro, mas que vai ficar sem nada quando morrer, herdando aquela família homofóbica… Tem de lutar pra mudar essa realidade. Seja com ações, seja com palavras, seja com pensamentos.

E eu queria discutir a questão do GAYSTAPO (HEH), mas isso merece um post à parte. 🙂

2) Fins de relacionamento. Falando em casamentos e etc., veio uma coisa triste em mim. Sabe naqueles dias que seu amigo tá numa pior, e você nem sabe sequer o que dizer a ele? Passei por isso. 😦

Simplesmente, houve um fim. E meu amigo não soube contornar a situação como devia. E eu, tentando acalmar os ânimos, parecia que não sabia mais falar a ele o que proceder. Era como se meu interior dissesse: você não tem mais nada a falar. Melhor ficar calado e dar força. E eu: ok, né. Pior nem é isso: pior é que quase começo a chorar pq não sabia como fazê-lo ficar pior, sem levar em conta que ele tinha ideias meio absurdas, que não comentarei neste espaço, obviamente.

Marcaram terapia pra eu ir, ajudar meus amigos a chorar as mágoas, etc. Mas eu não podia ir (minha mãe ficou PUTA pq cheguei tarde ontem :p), e marquei uma convenção no msn. Bom……… PRECISO DIZER QUE IGNORARAM A MINHA IDEIA? Tá. Depois disso, acabei enjoando de gente, nem fui, e tô aqui, com esses momentos meus, tomando uns bons drink. HAUEHAUEHAUEHAUE

A grande verdade é que relacionamentos acabam, e você vai sair chorando neles. CLARO. A questão é: olhar pra cima e viver. Sempre. Sofrer por algo ou alguém é penoso. Não vale a pena. Aliás, não vale a pena agregar pena das pessoas (que é diferente de você ser solidário com um coração aflito). Não se esqueça que você não é o herói na estória; até pq você vai fazer vilanices um dia, podendo até mesmo ser um anti-herói (trecho baseado na Gloss nº 43 que li, rs – ih me senti o Felipe Luno agora; aliás, esse trecho tirei do texto que ele escreveu pra revista)

E enquanto pessoas sofrem no final de uma futura estória bonita, eu sofro por faltar estórias bonitas que eu vivi. Um namoro que eu olhe e diga: foi bom. Eu até tive recentemente, mas o término foi tão esdrúxulo que simplesmente explodiu muitas virtudes que ele tinha. E ainda continuo no caminho de ser feliz, tentando me completar com um smartphone, já que ser humano anda em falta comigo. BTW: viram esse Galaxy S2 (NUNCA QUE VOU CHAMAR DE S II; adoro nomeá-lo SMARTPHONE DO AMOR)? Me apaixonei. LITERALMENTE.

Quanto mais conheço os humanos, mais gosto de computadores. Este é meu lema. Esta é a minha vida. E estas são as minhas regras. 😉